Cientistas revelam por que as pessoas que gostam de café puro têm maior probabilidade de ter “tendências psicopáticas”

por Lucas Rabello
452 visualizações

Pessoas que preferem o café sem açúcar podem ter mais em comum com Hannibal Lecter do que você imagina. Sério. Cientistas sugerem que aqueles que evitam cremes açucarados e tomam o café preto são mais propensos a exibir tendências ‘psicopáticas’. Antes de começar a olhar desconfiado para o colega que toma café preto, vamos aos detalhes.

O termo ‘psicopata’ é usado com frequência, mas não é um diagnóstico clínico. É geralmente usado para descrever alguém com transtorno de personalidade antissocial (TPA). Pessoas com TPA são tipicamente impulsivas, às vezes criminosas, e não têm empatia. Podem ser manipuladoras e enganosas, e têm dificuldade em distinguir o certo do errado.

Identificar alguém com TPA nem sempre é fácil, mas os pesquisadores podem ter encontrado uma pista na sua xícara de café. Um estudo de 2016 por cientistas da Universidade de Innsbruck, na Áustria, analisou 953 americanos para descobrir um possível vínculo entre as preferências de café e os traços de personalidade.

Os participantes relataram suas preferências de sabor e completaram quatro questionários de personalidade. Essas avaliações mediram maquiavelismo, psicopatia, narcisismo, sadismo cotidiano e agressão de traço. Também avaliaram os cinco grandes fatores de personalidade: extroversão, agradabilidade, abertura, conscienciosidade e neuroticismo.

Após analisar os resultados, os pesquisadores descobriram que aqueles com uma preferência por sabores amargos também eram mais propensos a exibir traços de personalidade malévolos. Em outras palavras, pessoas que adoram alimentos amargos, como café preto, eram mais propensas a mostrar sinais de sadismo cotidiano e psicopatia. Essa associação se manteve mesmo quando os pesquisadores consideraram preferências por sabores doces, azedos e salgados.

As descobertas fornecem insights fascinantes sobre a relação entre personalidade e nossos hábitos alimentares e de bebida. O estudo demonstrou consistentemente uma forte conexão entre gostar de alimentos amargos e ter tendências sádicas acentuadas.

No entanto, é importante notar que há uma distinção crucial entre preferência e prática. Algumas pessoas evitam consumir coisas como chocolate ao leite ou leite integral porque preferem alternativas mais saudáveis ou mais baratas. Portanto, só porque alguém gosta do café preto não significa necessariamente que está tramando dominar o mundo.

A ligação entre alimentos amargos e tendências psicopáticas não é uma ideia nova. Em 2015, Megan Willis, agora Professora Associada na Universidade Católica Australiana, discutiu isso no The Conversation. Ela mencionou um estudo que encontrou uma correlação fraca entre pontuações de psicopatia e uma preferência geral por sabores amargos. Portanto, aqueles na extremidade psicopática do espectro podem estar ligeiramente mais inclinados a gostar de alimentos e bebidas amargos.

Willis acrescentou um conselho prático: se você está se perguntando se alguém é psicopata, provavelmente se revelará em breve. Então, embora seu amigo que gosta de café preto possa ser apenas um indivíduo consciente da saúde, fique atento a outros sinais mais reveladores de comportamento psicopático.

A diferença entre psicopatas e sociopatas

Psicopatas e sociopatas são frequentemente confundidos, mas existem diferenças claras entre os dois. Psicopatas são geralmente descritos como frios e calculistas, com uma capacidade notável de esconder suas verdadeiras intenções. Eles tendem a ser muito manipuladores, planejando cuidadosamente suas ações sem qualquer remorso ou consideração pelos outros. Essa falta de empatia é uma característica marcante, permitindo que ajam de forma cruel e sem sentir culpa.

Por outro lado, sociopatas são mais impulsivos e propensos a comportamentos erráticos. Embora também possam ser manipuladores e desprovidos de empatia, suas ações são menos planejadas e mais reativas. Sociopatas podem formar vínculos com um grupo restrito de pessoas, mas ainda assim, não demonstram a mesma consideração e remorso que indivíduos típicos. Sua imprevisibilidade e tendência a explodir emocionalmente os tornam mais fáceis de identificar do que psicopatas.

Ambos os transtornos estão classificados sob o guarda-chuva do transtorno de personalidade antissocial, mas a origem desses comportamentos pode variar. Acredita-se que a psicopatia tenha uma forte base genética, enquanto a sociopatia pode ser mais influenciada por fatores ambientais, como uma infância traumática. Independentemente das causas, ambos os tipos de comportamento representam desafios significativos para a sociedade, exigindo abordagens diferenciadas em termos de tratamento e manejo.

Lucas Rabello
Lucas Rabello

Fundador do portal Mistérios do Mundo (2011). Escritor de ciência, mas cobrindo uma ampla variedade de assuntos. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados