Golfinho gravado falando ‘idioma de toninha’ revela o primeiro caso de animal se comunicando com outra espécie

por Lucas Rabello
0 comentário 952 visualizações

Kylie, uma golfinho-comum, tornou-se um objeto de intriga na comunidade científica por sua habilidade única de imitar os sons dos toninhas, com quem ela compartilha as águas do Firth of Clyde, um estuário de água salgada na costa oeste da Escócia. Essa área, repleta de uma diversa população marinha, presenciou o fenômeno notável de um golfinho não apenas coabitando com toninhas, mas também adotando seu modo de comunicação.

David Nairn, do Clyde Porpoise, junto com Mel Cosentino, uma dedicada candidata a PhD, embarcou em um estudo detalhado para entender essa interação entre espécies. Utilizando um hidrofone subaquático, eles capturaram as conversas aquáticas entre Kylie e as toninhas locais de 2016 a 2018. Golfinhos tipicamente se comunicam através de assobios, enquanto as toninhas dependem de cliques de banda estreita e alta frequência (NBHF). Curiosamente, Kylie foi registrada produzindo cliques com múltiplos picos de amplitude em torno de 130 quilohertz, a frequência específica na qual as toninhas se comunicam, divergindo do comportamento usual dos golfinhos de assobiar.

Nairn, intrigado pela adaptabilidade de Kylie, comentou sobre sua identificação com as toninhas, destacando a ausência de assobios semelhantes aos dos golfinhos em seu repertório sonoro. Essa adaptação sugere um profundo nível de integração social, com Kylie aparentemente se esforçando para “falar” a mesma língua acústica de seus companheiros toninhas.

As trocas gravadas entre Kylie e as toninhas mostraram um ritmo conversacional, insinuando uma forma estruturada de comunicação. Embora o conteúdo exato dessas interações permaneça um mistério para os observadores humanos, o esforço feito por Kylie para se engajar com as toninhas sugere uma tentativa significativa de diálogo interespécies. Denise Herzing, uma especialista em comportamento de golfinhos que não participou do estudo, destacou a singularidade do silêncio de Kylie em termos de golfinhos. A ausência de assobios, uma ferramenta comum de comunicação dos golfinhos, em favor de cliques semelhantes aos das toninhas, sublinha uma escolha deliberada de Kylie para se integrar à sua nova comunidade.

Herzing ainda enfatizou as implicações mais amplas de tais interações, sugerindo que as espécies selvagens podem se engajar mais umas com as outras do que se entendia anteriormente. Os achados deste estudo, publicados em 2022 sob o título “Me desculpe? Comportamento acústico de um golfinho-comum solitário selvagem que interage com toninhas”, revelam um vislumbre fascinante na complexidade da comunicação e das estruturas sociais da vida marinha.

Esta observação inovadora do comportamento de Kylie lança luz sobre o potencial para compreensão e adaptação interespécies no reino animal. Ela abre novas vias de pesquisa sobre como diferentes espécies se comunicam, interagem e talvez até formem comunidades além dos limites de sua própria espécie.

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados