Cientistas descobriram por que um enorme buraco se abriu misteriosamente na Antártida

por Lucas Rabello
0 comentário 256 visualizações

A Antártida nunca deixa de surpreender com seus mistérios arrepiantes e fenômenos impressionantes. Imagine um continente inteiro onde os únicos residentes são cientistas de passagem, mas de vez em quando, ele apresenta uma surpresa que confunde até as mentes mais astutas. Tome, por exemplo, a Polínia do Maud Rise, um gigantesco buraco que surgiu no gelo do Mar de Wendell em 2016. Esse não era apenas qualquer buraco — era imenso, estendendo-se por uma área tão grande quanto a Suíça!

“O que na Terra poderia causar tal coisa?”, você pode perguntar. Bem, é por causa da polínia, que é essencialmente uma grande área de água aberta cercada por gelo marinho. Esta em particular pegou todos de surpresa não só pelo seu tamanho, mas também devido à sua localização longe da costa.

Cientistas descobriram por que um enorme buraco se abriu misteriosamente na Antártida

A teoria inicial era que uma tempestade rebelde juntamente com algumas condições oceânicas incomuns haviam dado origem à polínia. No entanto, um estudo publicado na Science Advances descartou essa ideia. Ele propôs que o verdadeiro arquiteto por trás desse fenômeno era o Giro de Weddell — uma corrente notória por agitar as profundezas do oceano.

Segundo o professor Fabien Roquet da Universidade de Gotemburgo, “Esta ascensão ajuda a explicar como o gelo marinho pode derreter. Mas à medida que o gelo marinho derrete, isso leva a uma redução da salinidade da água superficial, o que por sua vez deveria interromper a mistura.” Ele acrescenta, “Então, outro processo deve estar ocorrendo para que a polínia persista. Deve haver uma entrada adicional de sal de algum lugar.”

A professora Sarah Gille da Universidade da Califórnia em San Diego intervém: “A marca das polínias pode permanecer na água por vários anos após terem se formado. Elas podem mudar como a água se move e como as correntes transportam calor em direção ao continente. As águas densas que se formam aqui podem se espalhar pelo oceano global.”

Então, enquanto alguns podem querer atribuir isso a alienígenas ou civilizações perdidas, a história real é provavelmente mais sobre correntes salgadas e menos sobre pousos extraterrestres. Na grande extensão gelada da Antártida, até mesmo um buraco no gelo não é apenas uma simples lacuna — é um vislumbre das forças naturais dinâmicas e poderosas em ação sob a superfície.

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados