Asteróide explorado pela NASA no valor de US$ 10.000.000.000.000.000.000 tornaria todos na Terra bilionários

por Lucas Rabello
2 comentários 571 visualizações

A jornada da NASA até o asteroide 16 Psyche não é apenas uma missão espacial rotineira. Lançada do Kennedy Space Center em Cabo Canaveral, Flórida, em 13 de outubro de 2023, essa viagem abrange impressionantes 4 bilhões de quilômetros. Por que todo esse alvoroço sobre esse pedaço particular de rocha espacial? Está repleto de metais preciosos como ouro, ferro e níquel. O valor puro desses recursos tem gerado grande excitação e especulação.

“Equipes de engenheiros e técnicos estão trabalhando quase ininterruptamente para garantir que o orbitador esteja pronto,” revelou a NASA em um comunicado em julho passado. O potencial lucrativo do asteroide levou a sonhos selvagens de riqueza além da imaginação. Há quem diga que, se a NASA conseguisse realmente trazer esse asteroide de volta à Terra, isso poderia tornar todos bilionários. No entanto, isso é um grande “se”. Trazer uma carga tão maciça de metais para a Terra poderia teoricamente desabar nossa economia global, como se todos de repente ganhassem na loteria. Logo, quando todos ganham, na verdade ninguém ganha nada – temos apenas um monte de dinheiro totalmente desvalorizado.

Mas a NASA não tem planos de mineração interplanetária. Os objetivos da agência são puramente científicos. “Com menos de 100 dias para o lançamento, equipes de engenheiros e técnicos estão trabalhando quase ininterruptamente para garantir que o orbitador esteja pronto para viajar 4 bilhões de quilômetros até um asteroide rico em metais que pode nos contar mais sobre os núcleos planetários e como os planetas se formam,” ecoa um comunicado de imprensa emitido pela NASA em julho.

Posicionado entre Marte e Júpiter, o 16 Psyche segue uma órbita elíptica ao redor do Sol, variando de 378 milhões a 497 milhões de quilômetros de distância. A missão deve alcançar seu alvo metálico por volta de julho de 2029, com um impulso de velocidade útil de Marte em maio de 2026.

“Uma vez em órbita, a espaçonave mapeará e estudará o Psyche usando um imageador multiespectral, um espectrômetro de raios gama e nêutrons, um magnetômetro e um instrumento de rádio (para medição da gravidade),” detalhou a atualização da NASA. Embora Psyche não seja o único asteroide rico em metais em nosso sistema solar, ele é de longe o maior, o que o torna um candidato principal para estudo. Acredita-se que asteroides menores tenham sido mais alterados por impactos espaciais, mas pensa-se que o Psyche permaneceu em grande parte inalterado.

Nicola Fox, a administradora associada para o Diretório de Missões Científicas da NASA, compartilhou sua perspectiva com o Space.com, dizendo, “Psyche é de longe o maior, e é por isso que queremos ir até ele porque os menores têm mais probabilidade de terem sido alterados por coisas que os impactaram, enquanto o grande, pensamos, vai estar completamente inalterado.”

2 comentários

Luizinho Neto 18 de abril de 2024 - 17:25

Tornaria os EUA, quintilhonários, isso sim.

Responder
Valéria Marques 18 de abril de 2024 - 23:05

Karl Marx, chega aqui, please. 🙂

Responder

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados