Filme ‘amaldiçoado’ é mais assustador porque o ator estava morrendo na vida real durante as filmagens

por Lucas Rabello
Publicado: Atualizado em 15,K visualizações

O lançamento do filme de terror “Poltergeist” em 1982, produzido por Steven Spielberg, marcou um momento significativo no gênero, cativando o público com sua narrativa arrepiante centrada nos encontros da família Freeling com espíritos malignos em sua casa na Califórnia. O sucesso do filme levou a duas sequências subsequentes em 1986 e 1988, e um remake em 2015. No entanto, o filme é talvez igualmente conhecido pela inquietante série de eventos que acometeu seu elenco, levando a rumores de uma ‘maldição’ associada à trilogia original.

A interpretação de Julian Beck como o Reverendo Kane, uma entidade maligna em “Poltergeist 2”, permanece como uma atuação memorável no cinema de horror. Beck, que estava lutando contra um câncer de estômago diagnosticado em 1983, continuou a trabalhar durante sua doença na produção. Sua deterioração física contribuiu para a presença assustadora de seu personagem. Beck sucumbiu à doença em 14 de setembro de 1985, meses antes do lançamento da sequência.

As tragédias não terminaram com Beck. Heather O’Rourke, que interpretou a jovem Carol Anne Freeling, faleceu em 1988 aos 12 anos de idade devido a complicações de uma cirurgia destinada a corrigir uma obstrução intestinal, mais tarde atribuída a uma anormalidade intestinal congênita.

Dominique Dunne, que interpretou Dana Freeling no filme original, foi tragicamente assassinada por seu ex-parceiro John Sweeney em novembro de 1982, logo após a separação deles. Além disso, Will Sampson, conhecido por seu papel como o xamã nativo americano Taylor no segundo filme, morreu após um transplante de coração e pulmão em 1987.

Filme 'amaldiçoado' é mais assustador porque o ator estava morrendo na vida real durante as filmagens

Além das mortes dos principais membros do elenco, incidentes peculiares no set alimentaram a noção de uma maldição. JoBeth Williams, que interpretou Diane Freeling nos dois primeiros filmes, relatou que Spielberg optou por esqueletos humanos reais como adereços, citando economia de custos em relação às réplicas de plástico, embora essa afirmação não tenha sido comprovada. Além disso, Sampson, que também era um homem de medicina na vida real, supostamente realizou um verdadeiro exorcismo no set após uma noite de filmagem.

Esses eventos teceram uma narrativa de mistério e especulação em torno de “Poltergeist”, ofuscando até certo ponto suas conquistas cinematográficas. A confluência de incidentes no set e as mortes prematuras de vários atores associados deixaram uma marca indelével no legado dos filmes, contribuindo para a lenda de uma “maldição Poltergeist” que continua a intrigar e inquietar fãs e céticos.

Lucas Rabello
Lucas Rabello

Fundador do portal Mistérios do Mundo (2011). Escritor de ciência, mas cobrindo uma ampla variedade de assuntos. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados