Agora você pode ser ‘aquamado’ em vez de enterrado ou cremado quando morrer

por Lucas Rabello
7,5K visualizações

Pensando na morte? Vamos encarar, todos nós vamos partir algum dia. Quando esse dia chegar, o que você quer que façam com seus restos mortais? Esqueça o enterro e a cremação tradicionais. Há uma nova opção na área, e ela é bem interessante — chama-se aquamação.

Então, o que é aquamação? Imagine a cremação, mas em vez de fogo, é tudo com água. Isso mesmo, você não vai virar fumaça; você vai se transformar em um splash. Aqui está o lance: eles colocam seu corpo em um recipiente pressurizado e o enchem com água e hidróxido de potássio. Eles aquecem a coisa toda a cerca de 160°C e mantêm sob alta pressão para evitar que tudo ferva como uma louca experiência de ciência.

O que acontece em seguida? A combinação da solução alcalina e do calor decompõe seu corpo ao longo do tempo até restarem apenas os ossos. Não se preocupe, você ainda pode ter “cinzas”, pois esses ossos são secos e triturados até virarem pó. Então, você ainda pode ter aquela urna na lareira, se for o seu estilo.

Mas e os restos líquidos? Aqui é onde fica interessante. O líquido contém aminoácidos e sais, o que o torna um fertilizante fantástico. Você poderia literalmente ajudar uma árvore a crescer com seus restos, se tornando parte da natureza da maneira mais legal possível. Pense nisso — seus entes queridos poderiam visitar uma árvore linda em vez de um cemitério sombrio.

E se você não estiver na vibe de fertilizante, sem problemas. A mistura pode ser neutralizada e liberada com segurança nos cursos d’água. Então, se a Tia Edna realmente te irritou, você poderia tecnicamente mandá-la pelo ralo. Só dizendo.

Aqui está o pulo do gato: a aquamação também é uma vitória para o meio ambiente. A Bio-Response Solutions, uma empresa dos EUA especializada nesse processo, afirma que ele usa 90% menos energia do que a cremação tradicional. Além disso, não emite gases de efeito estufa. Um adeus verde e sustentável.

Então, na próxima vez que você pensar no seu último adeus, considere a aquamação. É inovadora, ecológica e um pouco excêntrica. Por que se misturar com as cinzas quando você pode fluir com a água?

Quanto tempo o corpo demora para decompor?

Quando se trata da decomposição natural de um corpo, o tempo pode variar bastante dependendo das condições ambientais. Em média, um corpo enterrado em um caixão de madeira pode levar de 10 a 15 anos para se decompor completamente, deixando apenas os ossos. No entanto, em um ambiente onde o corpo está diretamente em contato com o solo, sem um caixão, esse processo pode ser mais rápido, levando de 8 a 12 anos.

As condições climáticas desempenham um papel crucial na velocidade de decomposição. Em climas quentes e úmidos, a decomposição pode ocorrer mais rapidamente devido à presença de bactérias e insetos que aceleram o processo. Por outro lado, em climas frios ou secos, a decomposição pode ser significativamente mais lenta. Em áreas com permafrost, por exemplo, os corpos podem se conservar por séculos devido às baixas temperaturas que inibem a atividade bacteriana.

Além disso, o tipo de solo e a profundidade em que o corpo é enterrado também influenciam no tempo de decomposição. Solos ácidos tendem a acelerar a decomposição dos tecidos moles, enquanto solos alcalinos podem retardar o processo. Corpos enterrados em maiores profundidades geralmente se decompõem mais lentamente, pois estão menos expostos a fatores ambientais externos e à atividade de insetos e outros decompositores.

Lucas Rabello
Lucas Rabello

Fundador do portal Mistérios do Mundo (2011). Escritor de ciência, mas cobrindo uma ampla variedade de assuntos. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados