Fãs elogiam série perturbadora’ da Netflix com 87% de aprovação que pode ser vista em um dia

por Lucas Rabello
1 comentário 28,2K visualizações

A Netflix com “O Clube da Meia-Noite” não traz apenas mais um programa no oceano de conteúdos dignos de maratona; é uma jornada da qual você não conseguirá fazer uma pausa. Imagine só: uma pequena cidade insular na Nova Inglaterra, profundamente religiosa, começa a vivenciar eventos sobrenaturais arrepiantes. Sim, é tão envolvente quanto parece e, com Mike Flanagan, a mente por trás de “A Maldição da Residência Hill” e “A Queda da Casa de Usher”, no comando, você sabe que terá algo especial.

Agora, vamos falar sobre as vibrações que essa série emana. Não é um terror comum; é daqueles que queimam lentamente, que te envolve aos poucos e depois fica contigo. O cenário? Imensamente arrepiante. A história? Profundamente cativante. E a melhor parte? Está tudo disponível na Netflix, pronto para ser devorado em provavelmente uma única e intensa sessão de cerca de sete horas. Então, você talvez queira liberar sua agenda.

Críticos e fãs estão praticamente em uma festa de amor com “O Clube da Meia-Noite”. Não é apenas hype; os números falam por si, com uma pontuação crítica de 87% no Rotten Tomatoes. Meagan Navarro chegou a dizer, “Esse tipo de terror deixa uma marca. É como se Flanagan tivesse se tornado um estudioso rápido do que faz as histórias de terror em pequenas cidades de Stephen King ressoarem e agora estivesse pronto para superar o mestre.” Isso não é um pequeno elogio!

Mas não é apenas um paraíso para críticos. A comunidade de terror está toda por cima disso. No grupo do Facebook Netflix Bangers, um fã não se conteve, chamando o programa de ’10/10′ e uma recomendação definitiva. Outra voz da multidão, uma crítica no IMDb, confessou, “Geralmente não sou fã da mistura de religião com terror, mas isso foi extremamente bem escrito.” Eles o classificaram mais como um drama provocante do que um terror puro, mas “definitivamente vale o tempo”.

Flanagan, conhecido por reutilizar seu elenco de forma genial, traz rostos familiares de volta à tela. Zach Gilford brilha como um alcoólatra em recuperação, e Kate Siegel, a própria esposa de Flanagan, entrega uma performance estelar oposta a ele. A química deles em tela adiciona outra camada à narrativa complexa do programa.

“O Clube da Meia-Noite” na Netflix é uma série de terror envolvente e profunda, com críticas positivas e uma experiência imersiva única.

E se você ainda está em cima do muro, deixe que as palavras de Sian Cain para o The Guardian te empurrem para o lado de cá: “A tragédia fermenta lentamente na panela elétrica, enquanto passamos a conhecer seus residentes, de modo que, quando a violência e a completa desolação finalmente chegam, ainda há beleza e esperança também.” A experiência de Cain? Uma experiência lacrimosa, indicando que “O Clube da Meia-Noite” não é apenas uma série de terror; é uma jornada emocional que até os não fãs de terror se veem atraídos.

1 comentário

Munik 12 de abril de 2024 - 15:55

O clube da meia noite????

Responder

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados