Mulher ficou com pulmões de uma pessoa de 80 anos após vape “fritar seus órgãos como asas de frango”

por Lucas Rabello
0 comentário 4,6K visualizações

Hannah Roth, uma mãe de 30 anos de Newport, Tennessee, EUA, começou a usar vape (cigarro eletrônico) durante os confinamentos da pandemia de COVID-19 para lidar com o estresse. Sem nunca ter fumado antes, ela logo se viu viciada, vaporizando pelo menos uma vez por hora, todos os dias.

Quatro anos depois, Roth começou a notar algo errado. “Eu tinha calafrios e meus pulmões faziam um som de estalo toda vez que eu respirava.” Achando que podia ser bronquite, ela foi ao médico e recebeu um diagnóstico de gripe. No entanto, a febre persistente de 40°C a levou de volta ao hospital.

No departamento de emergência do hospital de Scott County, os médicos descobriram algo preocupante: uma obstrução em seu pulmão direito. “Disseram que era pneumonia. Parecia uma árvore com galhos, chamado ‘árvore em brotamento’, que é basicamente a deterioração do seu pulmão. Isso não deveria acontecer, a menos que você fosse um fumante pesado.”

Um dos médicos perguntou se ela usava vape. Quando Roth confirmou, ele foi direto ao ponto: “É por isso que você tem pneumonia.” Ele alertou que, se ela continuasse, poderia morrer. “Ele pegou meu vape da minha bolsa e jogou no lixo. Disse que se eu continuasse fumando aquilo, não seria capaz de respirar.”

 Mulher ficou com pulmões de uma pessoa de 80 anos após vape "fritar seus órgãos como asas de frango"

Quando os médicos mostraram os exames de seus pulmões, Roth ficou chocada. “Pareciam os pulmões de alguém de 80 anos, alguém muito mais velho. Fiquei muito brava comigo mesma porque não tinha ideia de que o vape poderia fazer isso.”

Ela lembra bem do alerta do médico: “Toda vez que você usa esse vape, aquele vapor entra nos seus pulmões e é como fritar frango quente lá dentro. A intensidade disso estava fritando meus pulmões. É por isso que fazia aquele som de estalo quando eu respirava.”

Assustada, Roth sabia que precisava parar, especialmente por causa de seus filhos. Desde sua ida ao hospital em abril, ela está livre do vape, e seus pulmões não fazem mais o som de estalo. Agora, ela está determinada a aumentar a conscientização sobre os impactos negativos do vape. “O médico disse que se eu parasse de usar vape, meus pulmões poderiam se curar, contanto que eu não voltasse a vapear.”

Mulher ficou com pulmões de uma pessoa de 80 anos após vape "fritar seus órgãos como asas de frango"

Mesmo com as dificuldades, Roth encontrou maneiras de resistir aos desejos. “Ainda sinto vontade de usar o vape, mas mastigar chiclete ajuda bastante. No geral, me sinto muito mais saudável e estou economizando dinheiro, já que não compro mais vape toda semana.”

Roth tem um conselho claro para todos: “Não comece a usar vape. Mesmo que você ache que tem controle sobre isso, às vezes você simplesmente não tem.” Ela enfatiza a importância de resistir à tentação, especialmente para aqueles que nunca fumaram antes. “Eu estava estressada e presa em casa, e achei que o vape seria uma saída fácil. Mas não vale a pena. Acredite em mim, não vale o risco.”

Com sua experiência, Roth quer garantir que outras pessoas não caiam na mesma armadilha. “Eu nunca pensei que algo tão pequeno poderia causar tanto dano. Se eu pudesse voltar no tempo, nunca teria começado. Então, estou aqui para dizer: não faça isso. Não importa o quão tentador pareça, não é seguro.”

Ela também fala sobre as mudanças positivas que notou desde que parou. “Minhas noites são melhores agora; eu não acordo mais ofegante. Posso brincar com meus filhos sem me cansar rapidamente. A vida é muito mais agradável sem aquele peso nos meus pulmões.”

Roth continua a lidar com os desejos, mas está determinada a permanecer firme. “Não vou mentir, não é fácil. Mas pensar nos meus filhos e no meu futuro me dá forças para continuar. Se eu posso fazer isso, qualquer um pode.”

Sua mensagem é clara e poderosa: “Deixe o vape de lado. Escolha sua saúde e sua vida. Você merece muito mais do que os danos que essa coisa pode causar.”

Inscreva-se no canal Mistérios do Mundo no YouTube

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados