Mulher arrasada depois que uma rápida pesquisa no Google acabou custando R$ 1,7 milhão

por Lucas Rabello
0 comentário 4,3K visualizações

Jo O’Brien pensou ter encontrado o investimento perfeito após uma simples busca no Google. Mas o que começou como uma oportunidade promissora se transformou em um pesadelo de $500,000 AUD (cerca de R$ 1,7 milhão). Veja como ela ignorou os sinais de alerta e acabou desolada.

Jo, da Austrália, havia acabado de finalizar seu divórcio e estava procurando investir seu acordo. Ela procurou online pelas melhores taxas de investimento a prazo fixo em maio de 2022 e clicou em um dos primeiros links. Parecia legítimo, mas acabou sendo um golpe bem elaborado.

“Eu pesquisei ‘as melhores taxas de investimento a prazo fixo’ e apareceu como um dos primeiros links”, disse Jo. “Acontece que era uma página de destino criada pelos golpistas, eu acho.”

No dia seguinte à sua busca, ela recebeu ligações de homens afirmando representar vários serviços financeiros, incluindo a AMP (Australian Mutual Provident Society). Eles usaram os nomes de funcionários reais e ofereceram melhores taxas. Jo verificou esses nomes no site oficial, e os números de telefone pareciam ser de Sydney. Tudo parecia estar correto.

Nas semanas seguintes, a vida de Jo piorou. Os golpistas enviaram e-mails e formulários falsos para ela preencher, supostamente necessários para prosseguir com o investimento. “Não vi sinais de alerta porque não fui apressada”, explicou Jo. Em retrospecto, ela notou pequenos erros como pontuação incorreta, mas na época, até seu contador achou que estava tudo bem. Ela forneceu seus dados pessoais e recebeu o que pensava ser os detalhes de uma conta do National Australia Bank (NAB) em seu nome e vinculada à sua agência local em Melbourne.

Sem que ela soubesse, o dinheiro foi realmente enviado para a conta bancária de uma empresa e depois transferido para o exterior. “Eles disseram: ‘Aqui está o número da conta quando estiver pronta para fazer a primeira transferência.’ Não foi apressado, não parecia suspeito nem nada”, disse Jo. O banco ficava bem perto de sua casa, o que aumentava a sensação de segurança.

Jo questionou por que estava recebendo uma conta do NAB em vez de uma conta da AMP. O golpista tinha uma resposta pronta: eles às vezes usavam essas contas em Melbourne e Sydney. Convencida, Jo pediu ao seu banco, Commonwealth Bank, para aumentar seu limite diário de retirada do equivalente a R$ 100,000 para R$ 500,000. Ela até ouviu um aviso de golpe durante esse processo.

Em junho de 2022, o mundo de Jo desabou. Ela recebeu uma mensagem do banco pedindo que ligasse imediatamente. “Eu estava dirigindo, entrei em uma rua lateral e comecei a tremer e a chorar desesperadamente. Eu não conseguia falar”, contou Jo. O banco suspeitou que ela tinha sido enganada. Quase todo o seu dinheiro havia sumido.

“Sinto-me decepcionada com meu banco porque permitiram que $500,000 AUD – cinco transações separadas ao longo de duas semanas – fossem para uma conta com o nome da empresa”, disse ela. Jo não estava sozinha. Outras oito pessoas também foram enganadas, perdendo quase o equivalente a R$ 8,8 milhões no total para o mesmo golpe.

Determinada a obter justiça, Jo decidiu agir por conta própria. Ela rastreou um dos golpistas e ameaçou expô-lo. O golpista propôs um esquema para recuperar seu dinheiro de uma das contas, mas Jo recusou. Ela queria justiça para todos os australianos que haviam sido enganados.

“Ele disse que a Austrália é um grande alvo e que os golpistas estão ganhando milhões de dólares”, revelou Jo. Ela também ficou frustrada com a forma como as autoridades lidaram com seu caso.

A história de Jo é um lembrete severo de que devemos ser vigilantes, mesmo quando tudo parece legítimo. Os golpistas estão se tornando cada vez mais sofisticados, tornando mais difícil identificar os sinais de alerta. A experiência de Jo mostra como qualquer pessoa pode ser enganada facilmente e o impacto devastador que isso pode ter.

“Olhando para trás, havia pequenos detalhes que eu perdi, mas na época não parecia suspeito”, disse Jo. Ela espera que sua história ajude outros a evitar o mesmo destino.

Inscreva-se no canal Mistérios do Mundo no YouTube

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados