Canibal afirma que tinha um ‘acordo’ com sua vítima para comê-lo após a morte

por Lucas Rabello
0 comentário 4,5K visualizações

Kevin Bacon, de 25 anos, teve um trágico fim na véspera de Natal de 2019. Ele foi vítima de Mark Latunski após os dois se conectarem pelo Grindr e combinarem de se encontrar na residência de Latunski em Michigan, EUA. O alarme foi disparado na manhã seguinte quando Bacon não chegou para um café da manhã de Natal em família, levando seus entes queridos a comunicar seu desaparecimento.

Em 28 de dezembro, o corpo de Bacon foi descoberto no porão de Latunski. Um amigo havia informado à polícia que Bacon foi visto pela última vez visitando alguém que conheceu no Grindr. A cena macabra descrita pelas autoridades incluía Bacon pendurado pelos tornozelos com uma facada fatal nas costas e a garganta cortada.

Na investigação subsequente, imagens de uma entrevista policial revelaram a confissão arrepiante de Latunski. Ele afirmou que houve um acordo mútuo entre eles sobre o fim planejado da vida de Bacon. “Nunca fiz isso antes”, declarou Latunski na entrevista. “Conversamos por um tempo. Ele descreveu as coisas que queria. E fizemos o acordo, e ele deveria desaparecer. Sumir.”

Latunski detalhou ainda mais o perturbador acordo: “Eu faria o corpo dele desaparecer. E, sabe, conversamos sobre várias coisas. Parte do processo era transformar, sabe, quais partes do corpo dele poderiam ser usadas ou aproveitadas. Transformar os ossos dele em farinha de ossos e transformá-los em algo que fizesse crescer tulipas para sua família.” Após a morte de Bacon, Latunski confessou ter mutilado o corpo de Bacon. “Fiz o que disse que ia fazer”, ele relatou. “Peguei os testículos dele. Cortei-os, levei para cima e os comi.”

Durante o julgamento, Latunski se declarou culpado de assassinato e mutilação de um corpo. Declarações dos pais de Bacon, Karl e Hannah, foram lidas em voz alta. Hannah expressou sua profunda angústia e repulsa: “Na sua mente doentia e distorcida, você provavelmente não acha que fez algo errado. Neste Natal, espero que você sofra como nós sofremos.”

O caso revelou que Latunski tinha um histórico documentado de doença mental. Ele havia sido casado anteriormente e tinha dois filhos, mas perdeu os direitos de visitação em agosto de 2019 após preocupações levantadas por sua ex-esposa sobre a estabilidade de sua saúde mental. Os registros do tribunal indicavam que ele tinha um padrão de interromper seus medicamentos prescritos.

Um documentário da A&E mais tarde explorou o caso, lançando luz sobre a narrativa sombria e perturbadora e oferecendo uma visão sobre o estado mental de Latunski. O filme incluiu trechos de entrevistas policiais, proporcionando uma visão sombria da psique perturbada do homem durante o interrogatório. Latunski foi eventualmente condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional, concluindo um capítulo profundamente perturbador da história criminal.

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados