10 coisas que você nunca deve dizer ao seu parceiro(a)

por Lucas Rabello
Publicado: Atualizado em 26,6K visualizações

As discussões podem realmente esquentar e, às vezes, no calor do momento, escapam palavras que mais tarde desejamos poder retirar. Os especialistas estão falando alto e claro: algumas alfinetadas nunca deveriam ser ditas, não importa o quanto você esteja fervendo por dentro.

Imagine isso: Você está no meio da discussão, e de repente diz, “Você está exagerando.” Ai! Isso não é apenas um golpe; é como dizer ao seu parceiro que os sentimentos dele valem zero. Jeanette Fegan, uma craque na psicologia, aponta que isso pode fazer com que seu parceiro se sinta como se estivesse gritando no vazio. Falar sobre uma passagem só de ida para a Cidade da Solidão. O verdadeiro problema? Isso atrapalha seu crescimento como um duo adulto que resolve conflitos.

E então tem o clássico, “Você se importa mais com futebol/seus amigos/seu trabalho do que comigo.” Lorena Bernal, uma coach de vida com insights valiosos, adverte que isso é proibido. É como acusar seu parceiro de ter as prioridades todas erradas, o que pode realmente abalar a confiança que você construiu. Além disso, ignora completamente todo o esforço que ele coloca no relacionamento. Falar sobre um elogio com segundas intenções.

Já soltou um “Você nunca me escuta”? Segundo Lorena, isso é frequentemente um exagero. Começar uma conversa com o que é basicamente uma mentira é como começar uma corrida com o tornozelo torcido – você está se preparando para tropeçar. É um caminho rápido para a frustração e a sensação de estar preso em um ciclo, enquanto todas as coisas boas que vocês fizeram juntos são jogadas pela janela.

“Isso não é verdade – você está sendo ridículo,” é outra alfinetada que deve permanecer na zona proibida. Heather Garbutt, uma guru do amor, nos lembra que os sentimentos de todos merecem um lugar de destaque. Negar os sentimentos do seu parceiro é como dizer, “Suas emoções são inválidas,” o que é praticamente o oposto de construir confiança.

Ressuscitar o passado com, “Isso é exatamente como antes, quando você fez X,” é como apertar o retrocesso na sua playlist de discussões. Lorena diz que essa manobra é uma receita para uma sobrecarga emocional, misturando mágoas passadas com a briga atual e transformando uma montanha em um grão de areia.

E oh, o infame “Eu avisei.” Eldin Hasa nos diz que isso é um grande erro. Não é apenas irritante; desencadeia estresse. Imagine só! Suas palavras poderiam literalmente estar estressando seu parceiro. Em vez de jogar o jogo da culpa, que tal se unir e enfrentar o problema juntos?

“Eu não quero ouvir isso,” pode parecer direto, mas é bem duro. Eldin explica que ignorar os sentimentos do seu parceiro é um caminho rápido para eles se sentirem rejeitados e isolados. É como dizer, “Seus pensamentos e sentimentos? É, eles não valem o meu tempo.”

Chamar nomes é um terreno escorregadio. “Você é um(a) [nome insultante]” pode doer como uma abelha. Jeanette Fegan adverte que isso não é apenas falta de educação; é destrutivo. Pode esmagar a autoestima do seu parceiro em pó, deixando-o se sentir menos que nada. E se isso se tornar seu movimento padrão, pode dar adeus à resolução saudável de problemas.

Já pensou, “Por que você não pode ser mais como X?” Eldin nos diz que isso rouba a alegria. Já é difícil o suficiente ser você mesmo sem ser comparado a outra pessoa. Esse tipo de comentário pode deixar seu parceiro se sentindo inadequado, o que é uma passagem só de ida para a Cidade da Tensão.

Por último, jogar um ultimato como, “Se você não fizer X, eu vou embora,” é brincar com fogo. Não é apenas desagradável; é tóxico. Gera medo, sufoca a comunicação aberta e transforma o relacionamento em uma luta de poder. Jeanette aconselha que expor preocupações e buscar soluções juntos é o caminho a seguir.

Então é isso. No calor de uma discussão, pode ser tentador deixar essas frases escaparem, mas pausar e escolher suas palavras com sabedoria pode fazer toda a diferença. Afinal, não se trata apenas de vencer uma discussão; trata-se de nutrir uma parceria onde ambos se sintam ouvidos, valorizados e respeitados.

Lucas Rabello
Lucas Rabello

Fundador do portal Mistérios do Mundo (2011). Escritor de ciência, mas cobrindo uma ampla variedade de assuntos. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados