Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Veja 8 formas imbatíveis de lidar com o preconceito nas redes sociais

Infelizmente o preconceito está enraizado em diversas pessoas, expandindo-se inclusive nas redes sociais. Afinal de contas, são várias vítimas que diariamente lidão com o preconceito seja por sua etnia, cor ou até mesmo sobre a íntima escolha de sua orientação sexual, que nada compete os outros.

Se você já foi vítima de preconceito na internet, saiba que isso é um crime e você deve tomar algumas providências. Siga esse passo de 8 formas imbatíveis de lidar com o problema nas redes sociais e ajude também outras pessoas a lidarem com o mesmo:

1 – Saiba quem você é

Se algum dia, por ventura, você estivesse andando na rua e alguém gritasse “ladrão!” para você: você iria se ofender ou iria pensar que tal pessoa era alguém em delírio?

Certamente, se você não é aquilo que a pessoa afirmou, irá pensar que o outro é apenas um maluco que está colocando suas angústias e delírios para fora. Por isso, saiba quem você é e não se identifique com coisas ruins que os outros dizem. Cada um põe pra fora aquilo que tem dentro.

2 – Informe seus familiares

Deixe seus amigos e familiares cientes do ocorrido, para que você tenha testemunhas das ações preconceituosas. Não guarde para si o ocorrido e, por pior que seja, deixe outros cientes.

3 – Denuncie

Por mais que doa, é melhor procurar agir com a razão e parar essa pessoa antes mesmo de pensar em ficar chateado. O preconceito só tende a aumentar caso não tomemos uma postura com relação a isso.

Veja no site Direitos Brasil como fazer a denúncia passo-a-passo e denuncie imediatamente.

Mistérios do Mundo

4 – Peça ajuda

Depois de fazer a denuncia nas autoridades, também é importante pedir aos seus amigos auxílio para que você possa denunciar o perfil do agressor também na rede social em que o crime foi realizado. Essa é mais uma forma de ajudar a eliminar perfis criados com intuitos maléficos à sociedade.

Mistérios do Mundo

Além dessas formas práticas de resolver o problema, é muito importante cuidar de seu psicológico para não se identificar com as agressões, acreditando que você é aquilo que o agressor afirma ser.

5 – Procure entender o que é o preconceito

A etimologia da palavra “preconceito” consiste no prefixo usado em muitas línguas “PRE”, que significa “antes” e CONCEPTUS, que designa a palavra “resumo” em latim.

Pré conceito já diz que é um conceito pré concebido, ou seja, concebido anteriormente, sem que haja um conhecimento empírico envolvido no assunto. Portanto, o agressor definitivamente não sabe nada sobre o tema do qual está agindo de forma contrária, somente pré concebendo ideias.

6 – Saiba diferenciar os tipos de preconceito

Nem todo “conceito pré concebido” sobre algo é necessariamente ruim. Calma, iremos explicar! Por exemplo, nós fomos ensinados pelos nossos pais a diferença sobre a água e os produtos de limpeza, de modo que não precisamos beber produtos de limpeza para saber eles não são adequados para beber. Ou seja, não necessitamos de um conhecimento empírico para isso, já que beber este tipo de produto poderia nos levar à morte por intoxicação.

Assim sendo, aceitamos essa informação de forma pré concebida, sem um conhecimento empírico, isto é, sem uma experiência sobre o assunto. Esse tipo de conceito pré concebido nos auxiliou em muitas circunstâncias de sobrevivência, porém há uma problematização quando tentamos atribuir esse tipo de conceito pré concebido às pessoas.

7 – Entenda a problematização do conceito pré concebido atribuído às pessoas

Um problema muito grave da sociedade é a conceituação pré concebida que uma pessoa pode fazer sobre outra. As pessoas vivem em realidades muito diferentes e exigem um conhecimento empírico, ou seja, calcado na experiência, para que possamos conhecê-las e traçarmos uma opinião pessoal sobre elas.

Enquanto o conceito pré concebido serve para julgarmos alimentos, a roupa que iremos comprar, objetos e outras escolhas pessoais que devemos fazer, é necessário separar minuciosamente os objetos das pessoas, para não incorrermos o risco de inversão de valores. As pessoas não são itens materiais de consumo que iremos comprar e levar para casa, por isso não podemos traçar julgamentos sobre elas.

8 – Estude história

Em diferentes épocas, vários comportamentos eram tidos como normais, enquanto outros, como aberrações. Por exemplo no Império Romano a homossexualidade era muito bem aceita e até mesmo incentivada entre os soldados, que fortaleciam seus laços com seus companheiros e juntos lutavam pela sobrevivência da nação. O imperialismo ideológico, juntamente com outros fatores históricos gerou diversos paradigmas em épocas mais recentes e que já não são válidos, porém permanecem no subconsciente das pessoas.

Precisamos quebrá-los, entretanto.

Mistérios do Mundo

Por fim, não desista das escolhas que te farão uma pessoa mais livre, consciente e satisfeita consigo mesma. Procure amigos e pessoas que possam te auxiliar nesta jornada e saiba que você nunca estará sozinho.

Comentários
Carregando...