Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Urina e suor viram água potável na Estação Espacial Internacional

Hidratar-se na Estação Espacial Internacional não é uma tarefa muito fácil e agradável para os astronautas. Você já parou para pensar em como eles conseguem água a mais de 300km de distância da Terra?

Antigamente, a única água que os astronautas recebiam na Estação era aquela que viajava em mísseis cargueiros. No entanto, em 2003, um novo sistema de destilação e filtros foi implementado, fazendo com que os cientistas conseguissem transformar a própria urina, suor, e outras fontes semelhantes em água potável. Com essa tecnologia, pode-se produzir 2700 kg de água por ano, o que significa que a estação pode hospedar seis cientistas. A necessidade de criação de um sistema como esse foi evidenciada quando alguns mísseis cargueiros passaram a falhar na missão de alcançar a Estação, se perdendo pelo caminho.

Dentro da Estação Espacial Internacional existem dois sistemas de filtração de água: um Americano e outro Russo. Os europeus utilizam prata para desinfetar a água, enquanto os americanos utilizam iodo. Entretanto, como o iodo precisa ser retirado da água antes dela ser consumida, a NASA já pensa em utilizar a prata no futuro.

O grande ponto é que, apesar de ter a certeza que na sua frente está uma água completamente potável e livre de sujeira, alguns russos relutam em beber a urina reciclada, ficando apenas com aquilo que se obtém após o processamento do suor e da condensação daquilo que está no ar. Os americanos, por outro lado, utilizam a urina sem maiores problemas.

De acordo com Layne Carter, que cuida do processamento da água na Estação, o produto final tem o mesmo gosto de água engarrafada, desde que você consiga superar o fato psicológico que envolve consumir a própria urina reciclada. [IFLScience]

Comentários
Carregando...