Um termômetro quebrou a -62 °C na cidade mais fria do mundo, e as fotos são fantásticas

Bem-vindo a Oymyakon, uma vila onde os estudantes vão para escola com de -52 °C. A vila remota da Sibéria é considerada o assentamento habitado permanentemente mais frio do mundo, e acabou de alcançar uma temperatura de -62 °C, tornando nossas queixas diárias sobre o tempo bastante estúpidas.

O fotógrafo Amos Chapple viajou lá para enfrentar esse frio todo. “Eu estava usando calças finas quando eu pisei pela primeira vez em -47 °C”, disse Chapple. “Lembro-me de sentir como se o frio estivesse fisicamente agarrando minhas pernas, a outra surpresa era que, ocasionalmente, minha saliva congelava formando agulhas que furavam meus lábios”.

Desta vez, no entanto, o frio está ainda mais forte, não só agarrando as pernas, mas também puxando os cílios das pessoas e transformando em gelo. A estação meteorológica oficial no “pólo de frio” registrou -59 °C , mas o novo termômetro eletrônico afirmou que a temperatura estava a -62 °C. Na verdade, ele mesmo parou de funcionar depois de atingir essa marca dolorosa. Alguns dos 500 habitantes locais vão além disso, alegando que as temperaturas estavam tão baixas quanto -68 °C.

Nas décadas de 1920 e 1930, Oymyakon era uma parada para pastores de renas que banhavam seus rebanhos nas minas termais. Na tentativa de forçar sua população nômade a derrubar essas raízes, o governo soviético mais tarde transformou o lugar em um assentamento permanente. Em 1933, uma temperatura de -67,7 °C foi registrada na aldeia, aceita como a mais baixa do Hemisfério Norte.

Via: siberiantimes

Um termômetro quebrou a -62 °C na aldeia mais fria do mundo, e as fotos são fantásticas

Comentários
Carregando...