Um novo órgão humano foi oficialmente descoberto e temos que falar a respeito

Isso mesmo. Temos um novo órgão em nosso corpo e, ainda que Leonardo da Vinci já o tenha descrito a um tempo atrás, ninguém o tinha investigado a fundo nem muito menos classificado como o órgão que é. Em vez disso, era considerado uma capa unida aos intestinos. Ao menos até agora.

Conhecido como Mesentério (“aquele entre os intestinos”) se encontra em nosso sistema digestivo.

Até 2012, se pensava que era uma série de estruturas separadas que mantinha aos intestinos unidos à parede abdominal.

Autor desconhecido

Uma equipe de cientistas da Universidade de Limerick, na Irlanda, realizou uma complexa investigação microscópica para confirmar que as estruturas estão interconectadas e são parte de uma só estrutura.

A maior parte da investigação se levou a cabo em pacientes aos quais se estava realizando operações para remover grande parte ou todo o cólon. Apesar de que se começou a ensinar desde 2012 aos estudantes de medicina como um novo órgão, depois de 4 anos de cópias de materiais se anunciou como tal em uma publicação na The Lancet Gastroenterology & Hepatology.

Diagrama Anatômico do Mesenterio. J Calvin Coffey/D Peter O’Leary/Henry Vandyke Carter/Lancet

Além disso, também se adicionou a um dos livros médicos mais reconhecidos, Gray’s Anatomy.

“No documento, que foi revisado e avaliado, dissemos que agora temos um órgão em nosso corpo que não foi reconhecido como tal até a data. Estabelecemos sua anatomia e estrutura. O seguinte passo é sua função. Se entendemos isso podemos identificar um trabalho anormal do mesmo, o que seria uma doença. Misture tudo isso e veja surgir o campo da ciência mesentérica, a base para um ramo totalmente novo da ciência”. – Calvin Coffey, professor de cirurgia da Universidade de Limerick e autor coordenador do estudo.

Vasos sanguíneos, linfáticos e nervos estão presentes no mesentério e intestinos, pelo qual se deduz que tem uma função ativa. Agora os cientistas seguirão investigando para poder identificar qual é sua função primordial em nosso corpo.

 Sem dúvidas, ainda temos muito para descobrir.

Veja também: Mais do autor

Comentários

Carregando...