Pular para o conteúdo
Tristeza pela eliminação do Brasil na Copa? Psiquiatras explicam a sensação

Tristeza pela eliminação do Brasil na Copa? Psiquiatras explicam a sensação

Muitos torcedores brasileiros ficaram de “luto” após a derrota nos pênaltis para a Croácia na Copa do Mundo. Mas o que dizem os especialistas sobre essa resposta emocional? Segundo o psiquiatra Daniel Barros, existem algumas semelhanças entre a resposta emocional a uma derrota esportiva e o luto de uma perda pessoal, mas as duas não devem ser comparadas.

Barros observa que o luto é a perda de um objeto de afeto e que, quando alguém torce para um time, deposita naquele time seu afeto e suas expectativas. Quando o time perde, pode parecer um luto, mas não é o mesmo que uma perda pessoal.

Barros explica que uma forma de lidar com a resposta emocional a uma derrota esportiva é colocá-la em perspectiva. Ele sugere comparar a derrota com outras derrotas e perceber que a vida continua independentemente do resultado de um jogo.

Outra maneira de enfrentar é pensar na temporalidade da situação e lembrar-se de que a tristeza não durará para sempre.

O psiquiatra Lucas Spanemberg também recomenda olhar para o ambiente mais amplo e considerar os vários aspectos da vida que são gratificantes, como relacionamentos, trabalho e vida social. Ele lembra que a Copa do Mundo é apenas uma parte da vida e que é importante voltar a se dedicar a outras atividades após a decepção de uma derrota.

Quando se trata de crianças e da resposta emocional a uma perda esportiva, o psiquiatra Daniel Barros recomenda que os pais prestem atenção especial aos sentimentos de seus filhos. Ele sugere observá-los e dar-lhes a oportunidade de expressar suas emoções. Como as crianças têm um horizonte de tempo mais curto e podem ter dificuldade em colocar a perda em perspectiva, é importante distraí-las e mostrar-lhes outras coisas positivas, apesar da decepção. Isso pode ajudá-las a ver que há outras coisas na vida para aproveitar, mesmo depois de uma derrota esportiva.

Uma felicidade que não depende de nós

Segundo o psiquiatra Lucas Spanemberg, uma forma de lidar com a decepção de uma derrota esportiva é redirecionar a energia que foi investida no jogo para outros aspectos da vida que são importantes e sobre os quais se tem mais controle.

Ele observa que, embora seja natural sentir raiva, dor e uma sensação de desamparo após uma derrota, é importante direcionar suas expectativas em aspectos da vida que dependam de si mesmo. Essa pode ser uma perspectiva útil a ser adotada ao lidar com a resposta emocional a uma perda esportiva.