Suicídios de adolescentes aumentou após a estreia de “Os 13 Porquês”, da Netflix

No mês seguinte ao lançamento da série da Netflix, “Os 13 Porquês“, um estudo observou um aumento de quase 29% nas taxas de suicídio entre jovens nos EUA entre 10 e 17 anos.

Suicídio é um problema complexo que raramente tem uma causa única. Embora o estudo não tenha como objetivo simplificar as razões por trás de qualquer suicídio, ele espera destacar a importância de ser sensível ao retratar o suicídio na cultura popular e na mídia, especialmente se for voltado para os jovens. [10 coisas que você precisa saber sobre o suicídio]

Suicídios de adolescentes aumentou após a estreia de "Por 13 Razões", da Netflix
Shutterstock

Baseado em um romance de 2007, Os 13 Porquês é um drama adolescente sobre uma menina de 17 anos que se mata e deixa para trás uma série de 13 fitas detalhando as razões pelas quais ela tirou a própria vida. A série recebeu muitos elogios de críticos e espectadores que ficaram impressionados com sua representação genuína de problemas de suicídio e saúde mental entre adolescentes. Outros ficaram menos compreensivos e sentiam que o retrato indulgente do suicídio corria o risco de romantizar o tópico para um grupo vulnerável de pessoas.

O novo estudo, publicado no Jornal da Academia Americana de Psiquiatria Infantil e Adolescente, observou que o número de mortes por suicídio registradas em abril de 2017 – um mês após o lançamento da primeira temporada – foi 28,9% maior do que o observado qualquer único mês  janeiro de 2013 e dezembro de 2017.

O aumento foi impulsionado principalmente pela morte de jovens do sexo masculino. Os suicídios femininos também aumentaram após o lançamento da série, mas o aumento não foi estatisticamente significativo.

“Os resultados deste estudo devem aumentar a conscientização de que os jovens são particularmente vulneráveis ​​à mídia”, disse a autora do estudo, Lisa Horowitz, cientista clínica do Programa de Pesquisa Intramural do NIMH, em um comunicado.

Os pesquisadores não sabem se as vítimas do suicídio assistiram à série nem como isso as afetou. Eles só descobriram uma correlação – que poderia ter sido causada por outros fatores – e não uma relação causal. No entanto, com base na demografia e no calendário, a associação é digna de nota. Por exemplo, eles observam que as taxas de homicídio podem ser influenciadas por alguns dos mesmos fatores sociais e ambientais que as taxas de suicídio; no entanto, eles não encontraram nenhuma mudança significativa nas taxas de homicídio após o lançamento da série.

O suicídio nunca é direto e raramente é causado por um fator, como um programa de TV. Na maioria dos casos de suicídio, é provável que haja outros problemas subjacentes. Por exemplo, há fatores de risco bem conhecidos que todos devem conhecer, como abuso de álcool, uso de drogas, problemas de saúde mental e privação social.

Um porta-voz da Netflix disse em um comunicado ao The New York Times: “Acabamos de ver este estudo e estamos investigando a pesquisa, que entra em conflito com o estudo da semana passada da Universidade da Pensilvânia. Este é um tópico extremamente importante e temos trabalhado arduamente para garantir que lidamos com essa questão sensível de maneira responsável ”.

Enquanto isso, a terceira temporada da série está atualmente em produção.

Se você está tendo pensamentos suicidas ou está preocupado com outra pessoa, ligue para o número 188 se estiver no Brasil, e 21 854 07 40 se estiver em Portugal. Todas as chamadas são gratuitas e confidenciais. 

Se você estiver em outro país, uma lista de linhas de ajuda pode ser encontrada aqui.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.