Substância misteriosa descoberta dentro do meteorito que caiu na Sibéria é “mais dura que diamante”, dizem os cientistas russos

Cientistas russos afirmam que um novo tipo de mineral, por sinal mais duro do que o diamante, foi descoberto em um meteorito. A rocha espacial foi encontrada por caçadores de ouro na Sibéria há dois anos, sendo que testes extensivos foram realizados desde então para descobrir maiores informações sobre o achado.

Especialistas dizem que a rocha contém uma substância nunca antes vista que se formou no espaço, a qual eles nomearam “uakitite”.

Boris Shustov, chefe do Instituto de Astronomia da Academia Russa de Ciências, disse que é muito comum encontrar novos minerais em meteoritos porque eles se formam sob condições muito diferentes das da Terra.

Este é um fenômeno bastante comum devido ao fato de que vários minerais possuem um grande número de substâncias que podem ser formadas, uma vez que se formam sob condições cósmicas bem diferentes das da Terra“.

O meteorito foi desenterrado em 2016 em Buriátia, no sul da Rússia e as quantidades da nova substância eram tão pequenas que precisavam ser submetidas a testes especiais, incluindo difração de elétrons em vez de uma análise tradicional de raios-X.

A nova descoberta foi revelada por pesquisadores da Universidade Federal de Ural, da Universidade Estadual de Novosibirsk e do Instituto Geológico do Siberian Branch da Academia Russa de Ciências.

Os cientistas disseram que o meteorito foi submetido a temperaturas de mais de 1.000 ° C (1.800 ° F) formando associações de troilita-daubreelita, das quais um dos primeiros minerais a surgir é a uakitite.

Uma declaração da Universidade disse: ‘Forma-se cristais isométricos (cúbicos) (em daubreelite) ou grãos arredondados (em schreibersite). O tamanho dos grãos de uakitite é geralmente menor que 5 micrômetros”.

Estruturalmente, o novo mineral está relacionado à carlsbergite CrN e osbornite TiN.

As propriedades físicas da uakitite têm sido difíceis de avaliar devido aos tamanhos minúsculos dos grãos. No entanto, os pesquisadores acreditam que há uma fase amarela e transparente com um brilho metálico que é mais dura que um diamante.

Um laboratório especial foi criado dentro da Universidade Federal de Ural para estudar o novo mineral em maiores detalhes.

Os participantes da Reunião Anual da Sociedade Meteorítica em Moscou foram os primeiros a ouvir sobre a descoberta, bem como outras iniciativas para desenvolver estudos em mineralogia espacial em um país que continua a fornecer ricas captações meteorológicas para os cientistas.

[Daily Mail]

Comentários
Carregando...