Sua anorexia foi tão longe que o hospital a negou atendimento. Suas últimas fotos são impactantes

Holly Griffiths tem 25 anos e hoje é um exemplo para milhões de pessoas. Sua história é forte, porém inspiradora, já que ela lutou contra um grave transtorno alimentar durante 17 anos. Sim, começou quando tinha apenas 8 anos. É difícil imaginar uma garotinha tão pequena atravessando um transtorno desses. Logo, aos 13 anos, a diagnosticaram oficialmente com anorexia.

Caters News Agency

Para ela também é difícil entender porque aconteceu quando era tão nova. Apesar dos anos de terapia, diz que é impossível entender a maneira de pensar que tinha sendo tão pequena, e só sabe que tudo foi uma bola de neve que não deixou de crescer.

Caters News Agency

Aos 20 anos ela pesava somente 32 quilos e sua mente a enganava constantemente. Suas pernas eram esqueléticas, mas ela achava que suas coxas encostavam uma na outra. Tinha que tirar fotos para ver a realidade. Ela não sabia como fugir dessa terrível situação que já colocava sua vida em risco, até que recebeu o “puxão de orelha” que tanto necessitava.

A negaram o tratamento que costumava receber, argumentando que ela sempre recaia e que nunca seguia o tratamento da maneira correta. Não a aceitaram de volta no Hospital de Greenwich, em Londres. E foi aí que Holly percebeu que teria que fazer algo por si mesma. 

“Percebi que não poderia viver para sempre com um transtorno alimentar, me matar de fome e me castigar quando comia… porque isso me levaria a um ataque cardíaco ou derrame cerebral. Me dei conta também de que ninguém ia me ajudar, e se quisesse superar esse transtorno, teria que ser por mim mesma. A dismorfofobia corporal tinha me cegado até um ponto em que sentia que já estava prestes a morrer, eu estava muito mal, mal conseguia ficar de pé. Se eu não me recuperasse, a única opção era a morte. Eu tinha que parar e mudar as coisas… ou continuar daquele jeito e morrer”.

– Holly Griffiths

Uma das únicas coisas que ela gostava de comer era uma pizza que tinha poucas calorias em um lugar chamado Pizza Express, e decidiu que, assim, sairia dessa.

Começou a comer essa pizza uma vez a cada 10 dias. Ao não receber ajuda do hospital público, foi a um terapeuta particular, começou a tomar antidepressivos… e começou a melhorar. Logo, foi tirando fotos para acompanhar seu progresso. E os esforços começaram a dar frutos.

Caters News Agency

Hoje Holly vai a academia para malhar e está linda… e o mais importante: saudável.

Ela tenta ajudar e motivar aos que necessitam publicando fotos e vídeos de seus avanços, além de estar se preparando para ser conselheira nutricional.

“A diferença é que já não choro quando me vejo no espelho. Estou orgulhosa do meu corpo e do que conquistei”.

– Holly Griffiths

Caters News Agency 

São palavras que sem dúvidas nos fazem aplaudi-la de pé. Superar desordens alimentares como essas é algo realmente incrível e inspirador.

Comentários
Carregando...