Pular para o conteúdo
Sinais de rádio de uma galáxia a quase 9 bilhões de anos-luz de distância são recebidos na Terra

Sinais de rádio de uma galáxia a quase 9 bilhões de anos-luz de distância são recebidos na Terra

Os cientistas fizeram uma descoberta incrível que pode levar a uma compreensão mais profunda dos primeiros anos do universo. O sinal foi detectado usando um comprimento de onda único conhecido como “linha de 21 centímetros” ou “linha de hidrogênio”.

O hidrogênio é um dos elementos mais comuns no universo, tornando-se uma ferramenta valiosa para mapear e identificar a localização das galáxias. Os astrônomos usam radiotelescópios para captar sinais de comprimento de onda de linha de 21 cm para mapear o universo. Este comprimento de onda é emitido por átomos de hidrogênio neutros.

Sinais de rádio de uma galáxia a quase 9 bilhões de anos-luz de distância são recebidos na Terra

Cientistas no Canadá e na Índia capturaram o sinal de uma “galáxia de formação estelar” chamada “SDSSJ0826+5630” usando o Telescópio de Rádio Gigante Metrewave, na Índia. O sinal foi emitido quando a Via Láctea, a galáxia onde reside o nosso planeta, tinha apenas 4,9 bilhões de anos. Isso fornece uma “retrospecção no tempo” de 8,8 bilhões de anos, permitindo aos cientistas estudar o universo quando ele estava em seus estágios iniciais de desenvolvimento.

Esta é a primeira vez que um sinal deste tipo foi detectado a uma distância tão grande. O fenômeno natural conhecido como lente gravitacional ajudou os cientistas a capturar o sinal. A lente gravitacional ocorre quando a gravidade de um objeto massivo, como uma galáxia, dobra e amplia a luz proveniente de um objeto distante.

O sinal de rádio da galáxia distante. Crédito: Chakraborty; Roy/NCRA-TIFR/GMRT

O sinal de rádio da galáxia distante. Crédito: Chakraborty; Roy/NCRA-TIFR/GMRT

Isso permite que os cientistas estudem objetos que, de outra forma, estariam muito distantes e fracos para serem observados. Nesse caso, o sinal foi desviado pela presença de outra galáxia e ampliado, permitindo que o telescópio o captasse.

O co-autor do estudo, Nirupam Roy, disse: “As lentes gravitacionais ampliam o sinal vindo de um objeto distante para nos ajudar a perscrutar o início do universo”. Este é um avanço significativo, pois até recentemente, ondas de rádio de 21 cm de comprimento de onda só haviam sido registradas de galáxias próximas.

“Uma galáxia emite diferentes tipos de sinais de rádio”, disse ele. “Até agora, só foi possível capturar esse sinal específico de uma galáxia próxima, limitando nosso conhecimento às galáxias mais próximas da Terra.”

Os pesquisadores conseguiram medir a composição da galáxia distante de onde veio o sinal e descobriram que a massa atômica da galáxia era quase o dobro da massa das estrelas visíveis para nós. Esta é uma descoberta empolgante, pois permite aos cientistas estudar como as estrelas e as galáxias se formaram e evoluíram no início do universo.

A descoberta foi anunciada na semana passada no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society Journal. Embora isso signifique que os alienígenas não entraram em contato com a Terra, o sinal ainda é uma grande descoberta para ajudar os cientistas a entender os primeiros anos do universo. Esta pesquisa abre novas possibilidades para o estudo do universo, e será emocionante ver que outras descobertas os cientistas farão no futuro.