Restos perdidos do “Homem Elefante” podem ter sido descobertos

Depois de quase 130 anos, os restos mortais de Joseph Merrick – mais conhecido como “O Homem Elefante” – foram encontrados, afirmou uma autora.

O esqueleto de Merrick está armazenado no Royal London Hospital desde a sua morte em 1890. No entanto, a localização de seu tecido mole nunca foi registrada oficialmente.

Restos perdidos do "Homem Elefante" podem ter sido descobertos
Foto: Domínio público

A autora Jo Vigor-Mungovin agora diz que o mistério foi solucionado. Enquanto fazia pesquisas para uma biografia de Merrick, ela afirma ter descoberto que os restos dos tecidos moles do homem foram enterrados em um túmulo sem identificação no cemitério e crematório da cidade de Londres, no bairro de Newham.

Estranhamente, a descoberta está ligada a outra famosa figura da sombria Londres vitoriana: Jack, o Estripador. Vigor-Mungovin observou que muitas das vítimas de Jack, o Estripador, foram mortas em Whitechapel em 1888, o mesmo distrito de Londres, onde Merrick morreu apenas dois anos depois. Isso a levou aos registros do Cemitério e Crematório da Cidade de Londres, onde duas das vítimas do Estripador, Catherine Eddowes e Mary Ann Nichols, foram enterradas.

Um túmulo sem identificação, em particular, parecia se encaixar perfeitamente.

“O enterro é datado de 24 de abril de 1890 e Joseph morreu em 11 de abril”, disse Vigor-Mungovin à BBC News.

“Vimos sua residência como Hospital de Londres, sua idade de 28 anos – Joseph tinha 27 anos, mas sua data de nascimento era muitas vezes errada – e o legista Wynne Baxter, que sabemos que conduziu o inquérito de Joseph”, acrescentou.

“Tudo se encaixa, é demais para ser uma coincidência.”

Merrick nasceu em Leicester em 1862. Após alguns primeiros anos de vida aparentemente saudáveis, ele começou a desenvolver sintomas incomuns. O resto de sua vida foi definido por sua condição, caracterizada por grandes crescimentos anormais em grande parte de sua pele e ossos, especialmente na cabeça e no braço direito. Merrick foi confinado aos 17 anos, antes de se juntar a um “show de horrores”, viajando pela Europa como parte de um circo.

Enquanto em exposição, ele foi finalmente descoberto por um médico, Frederick Treves, que o trouxe de volta ao Hospital de Londres. Lá, ele foi minuciosamente examinado por Treves e se tornou uma curiosidade médica. Morreu em 11 de abril de 1890, aos 27 anos, depois de se asfixiar pelo peso de sua própria cabeça, aparentemente depois de tentar se deitar.

A história de Merrick continua a fascinar as pessoas até hoje. Ele tem sido o assunto de inúmeros livros, peças de teatro e filmes, mais notavelmente o filme O Homem Elefante, de 1980, dirigido por David Lynch, no qual ele é brilhantemente representado pelo falecido John Hurt.

Uma ilustração de Joseph Carey Merrick. Coleção Wellcome. CC BY
Uma ilustração de Joseph Carey Merrick. Coleção Wellcome. CC BY

Mesmo após um século de progresso biomédico, ainda não se sabe o que causou sua condição. Em 1986, dois cientistas argumentaram que a condição era causada pela síndrome de Proteus, um distúrbio genético raro que foi identificado em 1979. Outros sugeriram que ele sofria de uma combinação de síndrome de Proteus e neurofibromatose, uma condição genética que faz com que os tumores cresçam no tecido nervoso. No entanto, todos os testes genéticos nos restos de Merrick se mostraram inconclusivos. [BBC News]

você pode gostar também
1 comentário
  1. Epaminondas Diz

    Personagem simplesmente fascinante!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.