Rara cópia do Velho Testamento é doado para universidade de Israel

Uma cópia rara do Velho Testamento, de 338 anos de idade, finalmente foi reunida com sua “irmã-gêmea” – uma cópia da mesma edição que foi impressa nos anos 1600.

Desde sua impressão, o texto passou por estudantes, chegou até o Egito, e finalmente chegou às mãos de Micha Shagrir, produtor e diretor de filmes de Israel. Com a morte de Shagrir, em Fevereiro deste ano, sua família doou o texto para a Universidade de Haifa, no norte de Israel, que já possuía uma cópia praticamente idêntica em sua coleção.

De acordo com Yossi Ziegler, diretor acadêmico da biblioteca da Universidade de Haifa, o texto não teria agradado a nenhuma sinagoga. “Esse velho testamento não foi produzido para leitores hebreus. Na verdade, foi feito para aqueles que queriam aprender a linguagem hebraica e gostariam de ter acesso ao texto original”, disse.

Um renomado luterano alemão, chamado David Clodil, que viveu de 1644 até 1684, escreveu um comentário para o texto, e produziu e editou para leitores acadêmicos. Clodil incluiu números hebraicos e árabes, para ajudar seus leitores a navegarem pelo texto explicou Ziegler.

A página inicial, em latim, identifica Clodil como “Professor de Linguagens Orientais e Teologia no Alma Mater Giessen”, traduziu Ziegler.

Ainda que a livraria da universidade tenha uma cópia quase idêntica do texto, seus volumes são diferentes. Enquanto a cópia que já estava em mãos da universidade não possui margens, o novo integrante da coleção apresenta um grande espaço para que estudantes realizem anotações.

O novo texto possui muitas anotações, e de acordo com os pesquisadores, já deve ter passado por mais de 10 donos diferentes.

Antes de morrer, Shagrir decidiu doar o texto para a Universidad de Haifa, que agradeceu e pediu para que Shagir compartilhasse a história de como tomou posse do livro.

Foi então que Shagrir disse que em 1977, um mês depois de Anwar Sadat (presidente do Egito na época) visitou Israel, ele e um grupo de israelenses fizeram uma visita secreta ao Egito, onde visitaram uma livraria antiga no Cairo.

O dono de tal loja, que era armênio, e não egípcio, reconheceu o produtor de filmes e disse que admirava muito uma das obras de Shagrir, que tratava sobre o genocídio armênio. Como forma de homenagem, o dono da livraria entregou um livro embalado para Shagrir, pedindo para que este não fosse aberto até que chegasse em Israel. Concordando, Shagrir se impressionou quando chegou em seu país natal, abriu o pacote e se deparou com a cópia do Velho Testamento.

Depois de guardar o livro por anos, a família do produtor de filmes decidiu contatar a Universidade de Haifa e oferecer a obra quando Shagrir adoeceu. A Livraria Nacional de Israel – em Jerusalém – já possuía uma cópia da obra, então Shagrir preferiu tornar o livro disponível em duas partes diferentes do país.

Agora, a obra está disponível na livraria da universidade para qualquer um que queira conferi-lo. [LiveScience]

Comentários
Carregando...