Qual é a droga mais perigosa do mundo?

As drogas, de modo geral, mesmo que eventualmente produzam efeitos positivos, causam prejuízos para a saúde e para a vida do usuário como um todo, desde a relação com a família e com a sociedade até a questão financeira. Mas qual seria a droga mais perigosa do mundo?

Qual é a droga mais perigosa do mundo?
Shutterstock

Trata-se de um tema delicado, já que o conceito de “perigoso” pode variar dependendo dos aspectos que estamos analisando e das pessoas que estão avaliando. No entanto, um estudo britânico realizado em 2010 se propôs justamente a tentar responder a estar pergunta de alguma forma. A pesquisa em questão levou em conta 16 parâmetros de “perigo” para analisar cada tipo de droga (ilícita ou não). Estes parâmetros estavam divididos basicamente em dois grupos: os de efeitos individuais e aqueles que se aplicavam também a outras pessoas não-usuárias. Cada critério recebia uma pontuação diferente, de acordo com a sua natureza, e no final cada droga recebia uma nota de 0 a 100, sendo uma maior nota relativa a uma maior periculosidade.

A título de exemplo, alguns dos critérios analisados era a chance que a droga possui de causar overdoses, bem como servir de ‘ferramenta’ para outras complicações – como é o caso da heroína, que quando aplicava via injeções pode provocar a transmissão do vírus do HIV. Outros fatores envolviam a chance de causar dependência, o efeito sobre o usuário no que tange à relação com a sociedade e os efeitos prejudiciais no cérebro.

Após o cálculo da “pontuação” de cada droga, ficou constatado que o álcool era o “líder” do ranking. O motivo? Conforme uma publicação do IFLScience, que abordou o estudo em questão, este resultado traduz por exemplo o efeito que o alcoolismo causa para outras pessoas que não são usuárias (como uma mulher que precisa lidar com um marido alcoólatra, ou motoristas, que nunca sabem se no carro ao lado não está uma pessoa completamente alcoolizada).

Álcool
Shutterstock

Além disso, há o fator econômico, já que sabe-se que o vício em bebidas alcoólicas muitas vezes é capaz de levar uma pessoa completamente à falência. Basta ter em vista, por exemplo, que cerca de 70% dos acidentes rodoviários no Brasil estão ligados ao consumo de bebidas alcoólicas para se ter uma ideia do potencial negativo do álcool, que em alguns casos sequer é considerado como uma droga por algumas pessoas, e que sofre pouco ou nenhum controle de consumo por parte da sociedade em muitos países.

Por outro lado, a maconha, proibida no Brasil bem como na maior parte do mundo, apareceu apenas na oitava colocação. Drogas um tanto menos populares, mas também consumidas em grande escala, a heroína e a cocaína ficaram logo abaixo do álcool, nas primeiras colocações. No caso destas duas drogas, os maiores riscos são oferecidos para os próprios usuários, ao contrário do álcool, por exemplo.

Conforme relatado também pela publicação do IFLScience, um outro estudo, desta vez fora do Reino Unido, mas ainda na Europa, tentou reproduzir os resultados encontrados pelos britânicos. “Nós repetimos o estudo em nível europeu, expandindo-o de sua escala britânica, e eles concordam bastante um com o outro”, disse o autor Jan van Amsterdam, do Centro Médico Acadêmico da Universidade de Amsterdam, em entrevista ao IFLScience.

Ainda no ano passado, dados a Organização Mundial da Saúde voltaram a chamar atenção para os riscos do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, revelando que ocorrem, a cada ano, 3 milhões de mortes relacionadas ao álcool. Estes dados, em outras palavras, dizem que uma a cada 20 mortes no mundo inteiro está relacionada ao consumo deste tipo de entorpecente.

É difícil bater o martelo, no entanto, e dizer que o álcool é definitivamente a droga mais perigosa do mundo, já que você pode consumi-lo de forma recreativa e “social” (como alguns gostam de dizer), sem necessariamente causar danos irreversíveis à sua saúde e dos demais, o que não ocorre para outros tipos de entorpecentes que dificilmente permitem o uso recreativo.

Entretanto, considerando todos os fatos apresentados e levando em consideração a violência e o risco que o alcoolismo apresenta para a sociedade como um todo, o álcool realmente merece uma atenção destacada quando o assunto é o abuso de substâncias entorpecentes.

você pode gostar também
3 Comentários
  1. bruno Diz

    Materia muito boa!!!

  2. Bruno Amaral Diz

    Nice!

  3. Joel Diz

    Não há dúvida de que o álcool abre as portas para todas outras drogas. É a primeira referência de alteração de estado de consciência que alguém tem. O álcool é aberto e socialmente aceito, portanto, os pais que o oferecem aos filhos sem alertar sobre o seu outro lado, estão incorrendo em grave erro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.