Psicólogos definiram a existência de 7 tipos de amor e poucos experimentaram o último tipo

Ahh o amor! Tanto se fala sobre ele em livros e filmes mas… o que é o amor, afinal?

Filósofos e cientistas têm debatido essa questão por muitos anos, até que na década de 1980, o psicólogo americano Robert Sternberg desenvolveu uma teoria do amor de três componentes que inclui intimidade emocional, paixão e compromisso. De acordo com ele, são esses 3 pontos que constituem o belo sentimento de que milhares de músicas e livros são escritos. Mais tarde, graças à sua teoria, Sternberg destacou 7 tipos de amor e será exatamente sobre eles que falaremos a seguir – e pasmem! A maioria das pessoas jamais chegou a experimentar o último. Veja só:

1 – Paixão

Neste momento, as pessoas mal se conhecem e parece que “a grama é verde” do outro lado, sendo que elas acabam sentindo uma atração mútua. Em um relacionamento como esse, o casal geralmente não têm a menor ideia se tem ou não algo em comum, mas fica junto.

De acordo com o psicólogo, essa paixão pode se transformar em algo maior e mais completo ao longo do tempo, porém isso nem sempre acontece, já que é impossível sobreviver a esse tipo de amor.

2 – Amizade

Na amizade, diferentemente da paixão, em que se muda totalmente a personalidade para agradar o outro, é possível você sempre ser você mesmo e as pessoas geralmente estão unidas por interesses comuns, visões da vida e o sentimento de ser compreendido. Os psicólogos acreditam que tal intimidade sem paixão e compromisso resultará mais provavelmente em uma parceria do que em amor pleno de fato.

3 – Amor vazio

Pessoas que experimentam esse tipo de amor só têm compromisso, carecendo de intimidade e paixão. Às vezes, esse tipo de relacionamento aparece depois de um grande e fervoroso amor, ou como forma de recompensar um término de namoro, etc. As pessoas que experimentam o amor vazio, no entanto, podem mudar, o que aumenta a significância da relação e a forma como se sentem.

4 – Amor tolo

Neste tipo de amor há compromisso e paixão, sendo muito frequente na sociedade. Este é o tipo de amor que existe quando duas pessoas são realmente atraídas uma pela outra e acabam prontas para seguir certas tradições como casamentos, trocas de votos e compartilhar deveres domésticos, no entanto, carecem de uma verdadeira cumplicidade.

Psicólogos acreditam que esses casais podem até viver juntos por muito tempo, mas sua felicidade é relativa, já que não percebem o parceiro como um amigo.

5 – Amor romântico

Há amor em um estágio de paixão e intimidade nesse tipo de amor, sendo que as pessoas se sentem atraídas uma pela outra e até se sentem à vontade, mas não estão prontas para assumir compromissos sérios. Relacionamentos desse tipo geralmente não atingem o nível de convivência ou casamento.

6 – Companheirismo amoroso

Neste tipo de amor há compromisso e intimidade. Esses relacionamentos são muito mais fortes do que uma amizade comum e realmente existe um verdadeiro apego entre os parceiros.

Porém, isso é algo bastante limitado porque esse tipo de amor não tem paixão. Os psicólogos dizem que o tipo de relação companheira pode surgir após longos anos de amizade ou até mesmo casamento.

7 – Amor consumado

Neste tipo de amor há os três componentes: paixão, intimidade emocional e compromisso. É claro que os níveis deles nem sempre são iguais, mas é importante observar que todos os componentes se encontram nesta relação. Você raramente verá esse tipo de relacionamento, mas se as pessoas conseguem construí-los, elas realmente se amam. Esses casais provavelmente serão capazes de viver uma vida longa junto e desfrutar de seu casamento com muita alegria.

Todavia, os psicólogos estão certos de que uma pessoa geralmente experimenta vários tipos de amor em sua vida e às vezes acontece com o mesmo parceiro: eles se aproximam e mudam para um novo nível. Mas às vezes isso acontece com pessoas diferentes.

De qualquer maneira, seu relacionamento pode não se encaixar em um dos 7 tipos de amor padrão e pode estar sustentado entre dois deles. O importante é sempre haver diálogo com o(a) parceiro(a) e entender onde estão, se estão felizes onde se encontram e definir objetivos para relacionamento e melhorias para evoluírem juntos, entendendo um ao outro e os pilares de importância para cada um e para a relação.

[Bright Side]

Comentários
Carregando...