Por que nossas veias costumam parecer azuis se o sangue é na verdade vermelho?

O sangue é vermelho e um cirurgião irá dizer-lhe que nossas veias também são vermelhas, elas só parecem azuis quando as vemos através da nossa pele. Mas por que?

A resposta depende de uma série de fatores, incluindo a forma como seus olhos percebem a cor, como a luz se comporta quando entra em contato com seu corpo e as propriedades especiais do sangue.

A luz viaja em linha reta e com intervalos. A distância entre cada intervalo é chamada de comprimento de onda e as diferentes cores de luz têm ondas de diferentes comprimentos.

A luz vermelha tem um comprimento de onda longo (cerca de 700 nanômetros), a luz violeta tem um comprimento de onda curto (cerca de 400 nanômetros) e o resto do espectro está espalhado entre eles:

Vemos algo como uma cor particular quando a luz dessa cor atinge nossos olhos – diretamente de uma fonte de luz ou refletida a partir de uma superfície.

Para entender de que cor nossas veias aparecem, precisamos pensar sobre o que acontece com os diferentes comprimentos de onda da luz quando atingem a nossa pele, até onde eles podem percorrer a nossa pele e o que acontece quando chegam às nossas veias.

A luz que atinge nossa pele durante o dia é basicamente branca, que é uma mistura de todos os comprimentos de onda visíveis. Mas para explicar por que nossas veias se parecem azuis, veremos apenas as extremidades vermelha e azul do espectro.

A luz vermelha tem um comprimento de onda longo – e isso significa que é menos provável que seja desviada por materiais, podendo viajar mais facilmente. A luz vermelha pode viajar muito bem através da pele e tecidos do corpo, atingindo até 5-10 mm abaixo da pele, que é onde muitas veias ficam.

Quando chega às veias, a luz vermelha é absorvida pela hemoglobina (a proteína que torna nosso sangue vermelho). Você pode comprovar isso consigo mesmo: ao apontar uma luz vermelha no seu braço, você verá uma luz vermelha refletida de volta e linhas escuras onde as veias ficam, já que a luz vermelha é absorvida pela hemoglobina.

Este fenômeno é usado para ajudar médicos a encontrar veias para tirarem sangue – apontando uma luz vermelha e às vezes infravermelha (que possui um comprimento de onda ainda maior) no braço.

A luz azul tem um comprimento de onda curto (cerca de 475 nanômetros) e é espalhada ou desviada muito mais facilmente do que a luz vermelha. Por ser facilmente espalhada, não penetra tanto na pele (apenas uma fração de milímetro). Quando a luz azul atinge a pele, ela é principalmente desviada de volta.

Se você aponta uma luz azul em sua pele, o que você vê é basicamente pele azul e as veias ficam difíceis de serem encontradas. Você pode ter visto luz azul sendo usada em espaços como banheiro público para desencorajar o uso de drogas intravenosas.

A luz azul torna mais difícil de visualizar as veias

Então, agora imagine a luz vermelha e a luz azul brilhando em sua pele ao mesmo tempo, como acontece quando você está sob luz branca. Você terá uma mistura de vermelho, azul e outras cores refletidas de volta onde não há veias.

Onde há veias, você verá relativamente menos vermelho e relativamente mais azul em comparação com a pele circundante.

Isso significa que suas veias aparecerão em azul em comparação com o resto da sua pele.

Curiosamente, o efeito varia de acordo com a profundidade da veia e também quanto a densidade da veia. As veias muito estreitas próximas à superfície não aparecerão em azul.

As veias azuis são mais visíveis em pessoas muito pálidas e isso pode ter dado origem à expressão “sangue azul” da nobreza europeia no século XIX.

[Science Alert]

Comentários
Carregando...