fbpx

Ave super rara metade macho e metade fêmea é encontrada nos EUA

Nas florestas da Pensilvânia, nos EUA, pesquisadores encontraram um pássaro extremamente raro, que pode ser considerado “metade fêmea, metade macho”.

Pesquisadores do Museu Carnegie de História Natural capturaram e anilharam o pássaro na Reserva Natural Powdermill, na Pensilvânia, de acordo com um comunicado do museu. A ave pertence a uma espécie conhecida cientificamente como Pheucticus ludovicianus, que se alimenta principalmente de sementes, e é encontrado em grande parte do leste da América do Norte.

O macho desta espécie é conhecido por sua plumagem colorida. E é justamente a plumagem deste pássaro marca as diferenças entre os machos e as fêmeas. Enquanto as fêmeas possuem coloração marrom-alaranjado, os machos possuem cor vermelho-rosada. Acontece que, no caso do espécime encontrado, metade do corpo possui um tipo de pelagem, enquanto a outra possui outra coloração.

Pesquisadores encontram raríssima ave que é "meio macho, meio fêmea"
Annie Lindsay

Isso ocorre porque o animal é um exemplo raro de ginandromorfismo bilateral, onde a aparência externa de um indivíduo é dividida ao meio pela genética. Na prática, o animal é “meio macho, meio fêmea”.

“Toda a equipe ficou muito empolgada em ver essa raridade assim tão de perto, e está aproveitando essa experiência única em nossas vidas. Um dos nosso colegas disse que a sensação é de estar vendo um unicórnio”, disse Annie Lindsay, gerente do programa de anilhagem de pássaros da Powdermill. “O ginandromorfismo bilateral, embora muito incomum, já é bastantes conhecido, e fornece um excelente exemplo do fascinante processo genético”.

Pesquisadores encontram raríssima ave que é "meio macho, meio fêmea"
Annie Lindsay

E se você está se perguntando o quão raro é esse tipo de característica, aí vai uma pequena explicação:

Antes de qualquer coisa, é importante lembrar que a determinação do sexo nas aves é um pouco diferente do que acontece nos humanos. No nosso caso, as fêmeas têm duas cópias do mesmo cromossomo sexual (XX), enquanto os machos têm uma cópia de cada (XY). Mas, no caso das aves, ocorre essencialmente o oposto. Os machos têm um cromossomo sexual duplo (ZZ), e as fêmeas têm um de cada (ZW).

Acredita-se que a ginandromorfia ocorra por diferentes razões em diferentes espécies, mas para as aves, acredita-se que ocorra quando um óvulo acidentalmente se desenvolve com dois núcleos, um carregando um cromossomo Z e o outro um W. Se este óvulo for fertilizado por uma célula reprodutiva masculina carregando dois cromossomos Z, este óvulo se desenvolve tanto com cromossomos ZZ quanto ZW.

A equipe que descobriu este pássaro ginandromorfo agora está curiosa para ver se ele pode se reproduzir com sucesso. Como apenas o ovário esquerdo é funcional na maior parte das vezes, e o lado esquerdo desta ave é o lado feminino, é teoricamente possível que o indivíduo se reproduza com um macho. No entanto, há uma chance de que suas penas possam desencadear uma resposta territorial em outros machos, o que diminuiria suas chances de encontrar um parceiro.

Embora as chances de ocorrência da ginandromorfia sejam realmente muito pequenas, ele já foi visto em vários animais. No início de 2019, um casal também da Pensilvânia avistou um cardeal com ginandromorfia, apresentando colorações meio marrom e meio vermelho.

No início deste ano, os cientistas também documentaram a descoberta de uma abelha ginandromorfa cujo lado esquerdo – o “lado masculino” tinha uma antena longa e mandíbula mais lisa, mas o “lado feminino” tinha uma antena mais curta e uma mandíbula pontiaguda.


Com informações do IFLScience.

você pode gostar também