Pesquisa: Brasil pode ter 2400% casos a mais de coronavírus nos próximos 10 dias

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da PUC-RJ, Fiocruz e Instituto D’or, o número de casos de Covid-19 no Brasil podem multiplicar em 25 vezes durante os próximos 10 dias. Em outras palavras, o crescimento pode chegar a 2400%. A pesquisa, noticiada pelo Estadão nesta terça-feira, foi desenvolvida pelo Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (Nois), formado por cientistas das universidades supracitadas.

Os pesquisadores estimam que em 26 de março, seguindo alguns padrões, poderíamos ter algo em torno de 2314 casos confirmados no Brasil. Este, no entanto, seria o cenário mais otimista. A previsão mediana fala em 3750 casos. Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, dentro da perspectiva mediana, teriam, respectivamente, 2550 e 450 casos confirmados nesta data.

Vale ressaltar que, até o momento, o Brasil não vem seguindo as determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que instruem os países a testar o máximo possível de pessoas com suspeitas do novo coronavírus. Por conta de problemas estruturais, financeiros e logísticos, o país vem testando apenas pessoas em casos mais graves, o que pode puxar para baixo o número de confirmações. De acordo com informações do Estadão, o Ministério da Saúde já estaria admitindo a possibilidade de rever a forma de atuação.

Esta estratégia, de fazer previsões para períodos curtos, foi explicada pelo infectologista Fernando Bozza.

“É muito difícil fazer previsões a médio e longo prazo nesses casos. Em previsões de três meses ou mesmo de um mês, os números seriam muito díspares. Por isso, optamos por fazer previsões mais curtas, de dez dias, e em três cenários diferentes, para que sejam mais seguras”, explicou Bozza ao Estadão.

Shutterstock

A previsão foi feita com base nos padrões apresentados pela epidemia em países como a Itália, Espanha, França, Alemanha, Irã, Coreia do Sul, China e Estados Unidos. O ponto de partida para as projeções foi o cenário observado pelo Brasil em 15 de março, quando tínhamos 200 casos confirmados. Hoje (17), já são 321, com uma morte confirmada no estado de São Paulo.

De acordo com a equipe responsável pela pesquisa, um dos fatores que determinará a forma como nosso país reagirá ao surto do coronavírus é o resultado das políticas de distanciamento social implementadas atualmente. Várias escolas ao redor do país fecharam as portas, bem como cinemas e teatros, e muitas empresas recomendaram que seus funcionários trabalhassem de casa. É de responsabilidade de cada cidadão, entretanto, evitar o contato social e as aglomerações neste período de afastamento.

A Itália, país que desponta em número de casos confirmados e mortes, atrás apenas da China, dá o exemplo de como as coisas podem se tornar insustentáveis caso as medidas não surtam efeito. No país europeu, o crescimento desenfreado no número de casos gerou um colapso no sistema de saúde nacional, que não consegue dar conta adequadamente de toda a demanda de pacientes com Covid-19. Neste cenário, o problema se agrava pois pacientes com outros problemas de saúde podem não conseguir o tratamento necessário.

“Nós temos uma capacidade hospitalar que não é desprezível, especialmente nos grandes centros. Logicamente, essa capacidade não está distribuída de forma equânime entre o setor público e privado, mas temos uma boa capacidade instalada. Agora, se a epidemia atinge proporções muito maiores, não há capacidade instalada em nenhum lugar do mundo”, alertou Bozza ao Estadão.

você pode gostar também
1 comentário
  1. Albert Diz

    Pode nao, VAI AUMENTAR! O que conheco de gente retardada e irresponsável nao está escrito no gibi

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.