Pergaminho carbonizado de 1500 anos de idade é decifrado

Um pergaminho hebraico com 1500 anos de idade, encontrado na costa do Mar Morto há 45 anos acaba de ser decifrado por pesquisadores de Israel. “Decifrar esse pergaminho, que foi um quebra-cabeça para nós durante 45 anos, é muito emocionante”, disse Sefi Porath, o arqueólogo, que descobriu o pergaminho em 1970 em Ein Gedi.

O pergaminho é o mais antigo da Bíblia Hebraica descoberto desde os Manuscritos do Mar Morto, que datam de aproximadamente 2000 anos atrás. Como é de se imaginar, o pergaminho não foi encontrado em sua totalidade, apenas uma parte sua, carbonizada, chegou às mãos do arqueólogo. Por conta de seu estado, ele estava ilegível a olho nu. Apenas com tecnologia avançada foi que o pergaminho revelou os versos de abertura do livro de Leviticus.

“A descoberta nos surpreendeu completamente; nós estávamos certos que seria um tiro no escuro, mas utilizamos nossa tecnologia nesse pergaminho queimado assim mesmo”, disse Pnina Shor, curadora e diretora do Projeto Manuscritos do Mar Morto, na Autoridade Arqueológica de Israel (AAI).

Por conta do estado do pergaminho, era impossível abri-lo da maneira tradicional. Portanto, a AAItrabalhou em parceria com cientistas de Israel para utilizar um escaneamento no pergaminho, permitindo que ele fosse digitalizado e “desenrolado virtualmente”, permitindo a visualização do texto. Os cientistas e arqueólogos não sabiam exatamente se havia escrituras dentro do pergaminho – e, ainda, se as houvesse, como elas estariam apresentadas.

“Saber que estamos preservando a descoberta mais importante do século 20 e um dos tesouros mais importantes da humanidade faz com que nós procedamos com todo o cuidado e atenção”, disse Porath. [LiveScience]

Comentários
Carregando...