“Pantera Negra: Wakanda para Sempre” é banido na China

Este mesmo ano, durante a estreia de ‘ Lightyear ‘, a polêmica levou ao banimento do filme da Disney na China. A razão? A subtrama sobre um casal formado por duas mulheres que se apaixonam, formam uma família e, se arrumam, se beijam. É uma história linda e inocente, mas as leis anti-LGBT+ daquele país não permitem nem a menor demonstração de afeto entre duas pessoas do mesmo sexo.

Agora o mesmo aconteceu com ‘Pantera Negra : Wakanda Para Sempre’, que foi banido devido ao relacionamento lésbico entre duas personagens: Ayo e Aneka.

Em ‘Pantera Negra: Wakanda Para Sempre’, além de ver Tenoch Huerta como Namor e Mabel Cadena como Namora, além do retorno de Lupita Nyong’o, há Ayo e Aneka, interpretadas por Florence Kasumba e Michaela Coel, respectivamente. As duas têm um relacionamento e, em uma cena muito breve (tão curta que você pode até perder caso se distraia comendo pipoca no cinema), elas se beijam.

O beijo entre as duas é ainda mais inocente que o de ‘Lightyear’: é na testa, nada picante, seguido de um “obrigado, meu amor”. E embora seja um gesto legal que não necessariamente significa que elas são um casal, o filme não faz nada para esconder o relacionamento entre as duas (e não deveria). Por esse motivo, ‘Pantera Negra: Wakanda Para Sempre’ foi proibido nos cinemas chineses, como foi o caso de outros filmes da Marvel.

A controversa cena do beijo na testa também levou o filme a ser censurado no Kuwait. Segundo o The Hollywood Reporter, os cortes feitos em ‘Wakanda Para Sempre’ naquele país têm apenas um minuto de duração e incluem a cena de 10 segundos entre Ayo e Aneka, além de uma em que uma mulher dá à luz debaixo d’água, junto com a frase “um deus para o seu povo”.

Essa censura não é nova. No Kuwait, até outra cena heterossexual foi censurada: um beijo entre T’Challa e Nakia. Até mesmo um beijo entre duas pessoas heterossexuais foi removido de ‘Charm’.

buy metformin metformin online