Início » Psicologia » Os padrões que indicam uma traição foram identificados por cientistas

Os padrões que indicam uma traição foram identificados por cientistas

Lucas R.

Publicado em

Os padrões que indicam uma traição foram identificados por cientistas
Descubra os sinais sutis que antecedem a infidelidade em relacionamentos e a importância da comunicação para navegar em águas turbulentes

Imagine-se começando uma viagem tranquila pelo mar, mas, de repente, encontrando-se em meio a uma tempestade sem qualquer aviso. Seria útil se houvessem sinais, alguns sussurros do vento ou um ligeiro frio no ar indicando a tempestade iminente, certo? Relacionamentos, muitas vezes, se assemelham a essa viagem. Uma pesquisa recente na Alemanha buscou entender os padrões e indicadores que geralmente levam à tempestade definitiva em um relacionamento: a infidelidade.

No coração dessa busca estava um intrigante enigma. Quando um parceiro em um relacionamento comete infidelidade, trata-se de um impulso súbito originado de uma decisão momentaneamente equivocada? Ou resulta de um declínio constante, um acúmulo de pequenas questões que corroem a base do relacionamento?

A pesquisa, que durou oito anos e contou com quase 1.000 participantes, revelou algumas percepções fascinantes. Primeiramente, é essencial desfazer alguns mitos. Trair não se trata necessariamente de um parceiro emagrecendo ou fazendo hora extra no trabalho. Em vez disso, o estudo propõe que o verdadeiro problema muitas vezes começa dentro da dinâmica do próprio relacionamento.

Dito de forma simples, quando dois indivíduos se sentem verdadeiramente contentes e satisfeitos em um relacionamento, seus olhos não se desviam. Seus corações permanecem ancorados. No entanto, quando ondas de descontentamento começam a surgir e aqueles sentimentos de alegria e satisfação começam a diminuir, o relacionamento entra em águas potencialmente traiçoeiras.

VEJA TAMBÉM:
Déjà vu: como se explica a sensação de ter vivenciado algo

Mas, antes de aprofundarmos nas descobertas, vamos abordar uma questão crucial: A infidelidade, por si só, provoca turbulência no relacionamento, ou simplesmente emerge como um sintoma de águas já tumultuadas? A resposta parece inclinar-se para a última opção.

Ao longo deste estudo abrangente, o período que antecedeu o ato de infidelidade se mostrou especialmente revelador. Mudanças significativas e dinâmicas dentro do relacionamento tornaram-se evidentes. Sinais reveladores, como conflito aumentado e uma queda na satisfação geral, foram relatados por ambos os parceiros. Isso sugere que, no momento em que ocorre a infidelidade, as rachaduras na base do relacionamento já são profundas e significativas.

No entanto, aqui as coisas ficam ainda mais interessantes. Após o ato de infidelidade, enquanto os ‘infiéis’ relataram sentimentos de baixa autoestima, diminuição da satisfação no relacionamento e intimidade, os parceiros ‘traídos’ destacaram principalmente autoestima reduzida e conflito ampliado. A infidelidade não amplificou significativamente sua insatisfação geral em outras áreas.

VEJA TAMBÉM:
Os opostos se atraem? Isso é o que a ciência diz

Agora, você pode se perguntar, existe alguma esperança de recuperação? Bem, como a maioria das tempestades, a recuperação depende da gravidade do dano e da resistência do navio (ou neste caso, do relacionamento). O estudo indicou que, se uma mulher cometesse infidelidade ou em relacionamentos com níveis mais baixos de comprometimento, as chances de recuperação eram um pouco maiores. No entanto, na maioria dos casos, a infidelidade foi o vento final, empurrando o navio do relacionamento para o iceberg traumático.

Concluindo, se há uma lição a ser tirada desse estudo esclarecedor, é a importância da comunicação. Trata-se de reconhecer aquelas mudanças sutis no vento, aquele friozinho no ar, e abordá-los antes que se transformem em uma tempestade completa. A base de qualquer relacionamento duradouro é garantir que ambos os parceiros estejam sintonizados com os sentimentos um do outro. Se alguém se sente infeliz ou insatisfeito, é crucial trazer isso à tona, discutir e trabalhar juntos para encontrar uma solução.

Photo of author
Editor-chefe do portal Mistérios do Mundo desde 2011. Adoro viajar, curtir uma boa música e leitura. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.