Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Os 5 maiores achados arqueológicos que parecem de filmes de terror

Dispersos no chão sob nossos pés estão os restos da história. Há pequenas informações das vidas das pessoas que viveram antes de nós, que nos deixam vislumbrados sobre quem eram, as coisas que queriam, as casas em que viviam, etc., a partir dos ossos de seus corpos em decomposição.

Mas a vida, milhares de anos atrás, nem sempre foi fácil. Às vezes, quando esses restos são descobertos, as histórias que eles revelam são brutais e violentas – e às vezes, parecem que vieram diretamente de um filme aterrorizante. Conheça a seguir os 5 maiores achados arqueológicos que parecem de filmes de terror:

5 – Os Esqueletos Flutuantes

Em julho de 1884, crianças em uma escola em Zanzibar estavam brincando na praia quando viram pedras pretas e vulcânicas sendo trazidas para a costa. Empolgadas e curiosas, elas correram para reunir a pedras. Misturados entre as pedras, encontraram ossos humanos recentes.

Quando a professora relatou sobre o assunto, descobriu que não era a primeira vez que isso havia acontecido. Os esqueletos estavam surgindo ao longo de toda a costa do sudeste da África. Estes eram os restos de pessoas em Sumatra e Java, onde o vulcão Krakatoa entrou em erupção um ano antes. Ele havia eliminado 36 mil pessoas e erradicado uma ilha inteira.

Durante um ano, os corpos dessas pessoas flutuaram pelo oceano em jangadas de pedra vulcânica. Então, os esqueletos chegaram às costas da África, onde as crianças procuravam pedras na areia e acabaram os encontrando.

4 – Os Restos Canibalizados dos Herxheim

Uma equipe de construção trabalhando em Herxheim, na Alemanha, desenterrou algo absolutamente horripilante: sob o chão onde tinham a intenção de construir, havia um poço massivo cheio de cadáveres – mais de mil no total.

Os corpos estavam descansando por mais de 7.000 anos. O que aconteceu com eles, no entanto, foi um destino pior do que a morte. Eles não foram apenas mortos. Seus crânios haviam sido raspados. Suas costelas foram descascadas de suas vértebras como um açougueiro preparando um porco. Alguns dos ossos foram quebrados e medulas retiradas.

Essas pessoas, ao que parece, foram escalonadas, esfoladas, massacradas e canibalizadas. Isso, porém, não foi um ato de desespero de pessoas famintas. Havia mais de 1.000 vítimas, e a forma como elas haviam sido esfoladas foi muito ritualizada. Isso não foi um crime por paixão ou um lapso temporário de sanidade. Foi um ritual planejado que toda uma comunidade se uniu para realizar.

3 – Os Esqueletos Algemados de Athenas

Arqueólogos estavam investigando uma necrópoles em Atenas, onde pessoas respeitadas foram enterradas, quando encontraram algo fora do comum. Enterrados juntos estavam 80 esqueletos, todos com os pulsos algemados acima de suas cabeças antes de serem mortos.

Estes eram os corpos de homens jovens que haviam sido violentamente mortos, aparentemente juntos. Eles provavelmente foram algemados em fileira enquanto um executor tirava a vida de cada um.

Só podemos tentar adivinhar o que aconteceu com esses homens. Mas os arqueólogos que os acharam achavam que eram nobres executados por terem organizado um golpe. De qualquer forma, essas pessoas certamente devem ter enfurecido alguém no poder para terem encontrado seus fins dessa maneira.

2 – O genocídio Neolítico na Áustria

Em um túmulo em Asparn-Schletz, na Áustria, uma equipe de arqueólogos encontrou os restos de 67 pessoas que tiveram uma história horrível. Elas morreram em 5200 a.C., tentando se salvar do que parece ter sido o genocídio sistemático de uma tribo inteira.

As pessoas foram mortas em sua maioria com batidas na parte de trás da cabeça, embora algumas tenham sido abatidas com flechas. Algumas tiveram suas pernas esmagadas e quebradas para evitar que fugissem antes que suas cabeças tivessem sido esmagadas. Até mesmo as crianças foram mortas. Os corpos de 27 crianças estavam entre as pessoas.

Quase todos os corpos, porém, eram de homens. Apenas duas mulheres estavam entre os mortos.  Acredita-se que o resto das mulheres provavelmente tiveram que assistir como seus maridos e crianças foram mortos. Após isso, foram levadas e obrigadas a servir os homens que mataram suas famílias.

1 – As Covas das Mãos Cortadas

Em um palácio Hyksos em Avaris, no Egito, um arqueólogo encontrou quatro lugares onde poços haviam sido cavados e enchidos de mãos cortadas. Havia 16 no total, cortadas de suas vítimas antes de serem levadas para um palácio e enterradas no subsolo. Cada mão era de uma pessoa diferente.

A maior cova estava bem na frente da sala do trono, cavada em um lugar onde as mãos ficariam mais próximas do rei. Elas foram enterradas ali há 3.600 anos quando o palácio foi governado pelo rei Khayan. Parece que ele gostava de manter uma coleção de mãos cortadas de seus inimigos.

A descoberta não foi completamente uma surpresa. Arqueólogos já haviam encontrado desenhos na área que mostravam soldados trocando as mãos cortadas de seus inimigos por um pacote de ouro. Isso, ao que parece, foi como as recompensas eram coletadas pelos Hyksos. O rei recompensaria esses assassinos com ouro – e ele manteria as mãos em seu próprio lar. [ListVerse]

Comentários
Carregando...