Os 15 lugares mais poluídos do planeta

Versão em vídeo:

Versão em texto:

Se você é um morador do estado de São Paulo, no Brasil, certamente já deve ter reclamado de um problema: a poluição.

É claro que esse é um inconveniente inegável da cidade, mas estamos bem atrás – na verdade muito, muito atrás mesmo – de outras cidades extremamente poluídas que existem no mundo.

Você não vai acreditar na quantidade de lixo eletrônico que é produzido e pasmem: de armas químicas e resíduos provenientes delas que são lançados no solo, causando danos severos ao meio ambiente que são, muitas vezes, irreversíveis.

Estudos mostram que a poluição tóxica ameaça à saúde de mais de 200 milhões de pessoas no planeta e os poluentes industriais têm um impacto tão grande em sociedades diversas ao redor do mundo que já afetam mais pessoas do que a própria malária.

A seguir você irá conhecer os 15 lugares mais poluídos do planeta e irá agradecer por não ter nascido em algum deles.

15 – Dzerzhinsk, Rússia

@Shutterstock

Até o final da Guerra Fria, Dzerzhinsk era um dos principais pontos de fabricação de armas químicas na Rússia: quase 300.000 toneladas de resíduos químicos foram descartadas de maneira inadequada entre 1930 e 1998, levando o Guinness Book of World Records a nomear, em 2007, Dzerzhinsk como a cidade mais poluída do mundo.

Para se ter ideia, em 2003, foi relatado que a taxa de mortalidade na área excedia a taxa de natalidade em 260%. A expectativa de vida média era de 42 anos para homens e 47 para mulheres e até hoje as consequências continuam.

Amostras de água coletadas na cidade apresentaram níveis de dioxinas e de fenol mil vezes acima do recomendado, o que causa doenças como câncer nos rins, pulmões, olhos e outros órgãos.

Hoje em dia, a região ainda é um polo significativo da indústria química russa, porém esforços têm sido feitos para fecharem o local de vez, a fim de que o solo contaminado possa ser definitivamente tratado.

14 – Kabwe, Zâmbia

@Shutterstock

Por conta de décadas de mineração de chumbo e zinco, a cidade ficou basicamente envenenada. Um estudo feito em 2006 mostra que o chumbo no solo e na água fizeram com que os níveis desse elemento presente no sangue das crianças fossem, em média, de cinco a 10 vezes maior do considerado normal.

13 – Agbogbloshie, Gana

@Shutterstock

Você sabia que Agbogbloshie é a segunda maior área de processamento de lixo eletrônico da África Ocidental? Eles chegam a importar cerca de 215 mil toneladas de resíduos provenientes da Europa, com o intuito de reciclá-los.

No entanto, a reciclagem deforma segura é um processo complexo que requer uma habilidade e uma tecnologia adequada e, infelizmente, isso não é aplicado nos aterros. As atividades irregulares causam um impacto ambiental na região extremamente nocivo, resultando na contaminação do solo.

Para se ter ideia, algumas amostras recolhidas revelam que o solo onde vivem mais de 40 mil pessoas está contaminado com chumbo em 18ppm (partes por milhão), sendo este elemento presente 45 vezes mais que o limite de contaminação estabelecido pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA.

12 – Rio Niger, Nigéria

@Shutterstock

O Rio Níger possui cerca de 70 mil quilômetros quadrados e ocupa quase 8% da área total da Nigéria.

Tão grande quanto é seu tamanho, é o seu nível de poluição: desde o final de 1950, a região concentra a maior parte das operações de extração de petróleo da Nigéria e mais de 7 mil incidentes envolvendo derrames de petróleo foram registrados.

Por anos, mais de 240 mil barris de petróleo derramados no delta do rio e esses vazamento afetam não só a água como também o ar.

Segundo um artigo publicado no Nigerian Medical Journal, em 2013, a poluição poderia ser responsável pelo aumento de 24% de desnutrição infantil, além de infertilidade e câncer.

11 – Norilsk, Rússia

 

Norilsk é uma cidade industrial que foi fundada em 1935, infelizmente, como um campo de trabalho escravo. Essa cidade abriga o maior complexo de fundição de metais pesados ​​do mundo e, por isso, foi considerada um dos lugares mais poluídos da Rússia.

Em Norilsk a neve é ​​negra, o ar tem gosto de enxofre e a expectativa de vida dos operários é 10 anos abaixo da média russa.

Estima-se que mais de 130 mil moradores da região sejam expostos a partículas de metais pesados e, por isso, as crianças sofrem de numerosas doenças respiratórias, responsáveis ​​por 15,8% de todas as mortes infantis. Nascimentos prematuros e complicações tardias da gravidez também são frequentes por lá, além de cânceres de pulmão e no sistema digestivo.

10 – Sukinda, Índia

@Shutterstock

Sukinda contém mais de 97% dos depósitos de minério de cromita da Índia. Doze minas operam sem controles ambientais, levando o poluente ao abastecimento de água potável.

Os trabalhadores de minas de cromita ficam constantemente expostos a poeira e água contaminadas, sendo que sangramentos gastrointestinais, tuberculose e asma são doenças bem comuns por lá.

9 – Rio Citarum, Indonésia

@Shutterstock

O Rio Citarum cobre uma área de cerca de 13 milhões de quilômetros e é essencial para a população local.

Este rio está contaminado por dejetos industriais e domésticos, concentrando níveis de chumbo mil vezes maiores que o aceito internacionalmente.

O lado ruim é que 80% da água consumida pela população local vem deste rio, além dele irrigar fazendas que produzem cerca de 5% do arroz cultivado no país e atender 2 mil fábricas da região.

Por isso,  ogoverno indonésio tem um plano de investir cerca de 3,5 bilhões de dólares na revitalização do Citarum nos próximos 15 anos, já que 9 milhões de pessoas têm contato ou dependem dele para sua sobrevivência.

8 – Sumgayit, Azerbaijão

@Shutterstock

No passado, Sumgayit foi grande centro industrial soviético e abrigava mais de 40 fábricas. Essas fábricas produziam químicos industriais e agrícolas e as emissões nocivas resultantes deste processo beirava os 70.000 a 120.000 toneladas, anualmente.

Os bebês que nascem nas proximidades em grande parte são prematuros, natimortos ou com problemas de ordem genética, como anencefalia, hidrocefalia, doenças ósseas e mutações, espinha bífida, entre muitos outros.

7 – Tianying, China

@Shutterstock

Tianying é uma das maiores bases de produção de chumbo na China, porém muita coisa que ocorre por lá acontece de maneira ilegal.

Por conta das atividades ilegais, o nível de chumbo no ar e no solo são, respectivamente 8,5 vezes e 10 vezes maiores do que as normas preveem.

6 – Mailuu-Suu, Quirguistão

Todo o vale de Ferghana, uma das áreas mais férteis e povoadas da Ásia Central, se encontra sob ameaça por causa do rio Mailuu-Suu, o lar de quase 2 milhões de metros cúbicos de lixo de mineração radioativa.

Para você ter ideia, em 2006, cerca de 300.000 metros cúbicos de material caíram no rio Mailuu-Suu, perto dos rejeitos de minas de urânio, por conta de um deslizamento de terra. E a situação por lá, só piora.

5 –  La Oroya, Peru

@Shutterstock

La Oroya recebe as emissões tóxicas de uma usina de processamento de metal pertencente à Doe Run Corporation, nos EUA.

Essas atividades foram em grande parte responsáveis ​​por níveis perigosamente altos de chumbo no sangue de 99% das crianças que vivem na área e nos arredores, resultando na morte prematura como consequência dos gases nocivos que permeiam a região.

Para se ter ideia, a vegetação na área circundante foi destruída pela chuva ácida devido às altas emissões de dióxido de enxofre.

4 – Linfen, China

Você acredita que em Linfen, na China, os moradores relatam terem se engasgado com pó de carvão à noite?

Inclusive, o próprio governo chinês percebeu que essa é a cidade de pior qualidade do ar de todo o país.

Não é à toa, pois o Banco Mundial declarou que 16 das 20 cidades mais poluídas do mundo estão na China.

3 – Hazaribagh, Bangladesh

@Shutterstock

Hazaribagh emprega mais de 10 mil trabalhadores, que são expostos a condições de trabalho extremamente perigosas. Lá, todos os dias, as fábricas descartam 22 mil litros cúbicos de resíduos tóxicos cancerígenos.

A consequência já era de se imaginar: problemas de saúde diversos, o que inclui, infelizmente o câncer.

A expectativa de vida dos trabalhadores, que possuem suas casas ao redor do lago, é extremamente baixa e problemas respiratórios são muito frequentes.

2 – Matanza-Riachuelo, Argentina

A bacia do rio Matanza-Riachuelo abriga mais de 20 mil pessoas, já que sua extensão corta 14 municípios de Buenos Aires.

Este rio recebe os dejetos de mais de 15 mil indústrias, que incluem fabricantes de produtos químicos, o que resulta na contaminação por zinco, chumbo, cobre, níquel e crômio bem acima dos níveis recomendados.

O pior de tudo são os assentamentos irregulares, feito por pessoas que não possuem saneamento e usam do rio para suprirem suas necessidades básicas.

1 – Chernobyl, Ucrânia

@Shutterstock

Chernobyl é um local famoso por ter sofrido o pior desastre nuclear da história: em 26 de abril de 1986, uma explosão do reator nuclear próximo liberou 100 vezes mais radiação do que as bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki, afetando uma área de 150 mil quilômetros quadrados.

A cidade de Chernobyl até hoje está longe de se recuperar da tragédia, já que até mesmo as zonas com 30 quilômetros de distância permanecem inabitáveis.

As consequências para as pessoas que moravam nas proximidades entre Bielorrússia, Rússia e Ucrânia foram lesões de pele, doenças respiratórias, infertilidade e defeitos congênitos.

De 1993 a 2002, mais de 4.000 casos de câncer de tireoide foram diagnosticados em crianças e adolescentes da região e a radioatividade ainda presente na área coloca em risco as vidas entre 5 e 10 milhões de pessoas na Ucrânia, Rússia, Moldávia e Belarus.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.