Olhos azuis não possuem pigmento azul: então por que são azuis?

“Seus olhos não são azuis (ou verdes) porque eles contêm células pigmentadas”, escreveu Paul Van Slembrouck para o site Medium. “Sua cor é na verdade estrutural – e envolve uma questão da física bastante interessante”.

A parte colorida dos olhos é chamada de íris e é composta por duas camadas – o epitélio na parte de trás e o estroma na frente.

O epitélio possui apenas duas células de espessura e contém pigmentos castanho escuro – as manchas escuras que algumas pessoas têm em seus olhos é, de fato, o epitélio aparecendo.

O estroma, em contraste, é composto de fibras de colágeno incolor. Às vezes, o estroma contém um pigmento escuro (melanina) e às vezes contém excesso de depósitos de colágeno.

E, fascinantemente, são esses dois fatores que controlam a cor dos seus olhos.

Os olhos castanhos, por exemplo, contêm uma alta concentração de melanina no estroma, que absorve a maior parte da luz que entra no olho, independentemente dos depósitos de colágeno, dando-lhes a cor escura. Já os olhos verdes não têm muita melanina neles, mas também não têm depósitos de colágeno.

Isso significa que, enquanto algumas das luzes que entram neles são absorvidas pelo pigmento, as partículas do estroma também dispersam a luz como resultado de algo chamado efeito Tyndall, que cria uma tonalidade azul (semelhante à dispersão de Rayleigh que faz o céu parecer azul).

Combinado com a melanina marrom, o resultado são os olhos verdes. Olhos azuis são potencialmente os mais peculiares, pois sua cor é inteiramente estrutural.

As pessoas com olhos azuis têm um estroma completamente incolor com nenhum pigmento, e também não contém depósitos de colágeno em excesso.

Isso significa que toda a luz que entra é espalhada de volta para a atmosfera e, como resultado do efeito Tyndall, cria uma tonalidade azul.

Curiosamente, isso significa que os olhos azuis na verdade não têm uma cor definida – tudo depende da quantidade de luz disponível quando você olha para eles.

A coloração estrutural também dá cor às borboletas, à carne e às frutas.

Van Slembrouck escreveu para Medium: “Imagine que você poderia encolher-se a um tamanho microscópico e depois subir pela malha de fibras no estroma. É daí que a coloração estrutural vem…

…e na malha também existem mechas de tecido muscular liso que se contraem para dilatar (expandir) a pupila, puxando a extremidade interna da íris em direção à borda externa. Quando isso acontece, as fibras do estroma afrouxam e podem ficar agitadas à medida que a tensão é liberada. Isso me faz pensar, isso altera ligeiramente a cor do seu olho também?”

Incrível, não é mesmo?

[Science Alert]

Comentários
Carregando...