Pular para o conteúdo
O lago misterioso no Himalaia onde foram encontrados 300 esqueletos

O lago misterioso no Himalaia onde foram encontrados 300 esqueletos

  • por
  • Lugares

Todos os anos, o pequeno lago congelado Roopkund, localizado na cordilheira do Himalaia, a mais de 4.900 metros acima do nível do mar, derrete.

O lago parece inofensivo e bonito. No entanto, o que revela quando o gelo desaparece é suficiente para congelar o sangue de qualquer um: um conjunto de 300 corpos humanos. É por isso que Roopkund é mais conhecido como Lago dos Esqueletos.

Um grande mistério

O lago misterioso no Himalaia onde foram encontrados 300 esqueletos

O lago misterioso cativou a comunidade científica ao longo dos anos. Até recentemente, pensava-se que esses indivíduos foram vítimas de um único desastre natural. No entanto, estudos recentes revelaram que os esqueletos pertencem a pessoas de grupos geneticamente diferentes separados por mil anos.

Roopkund está localizado no fundo de um pequeno vale no Himalaia, no distrito de Chamoli em Uttaranchal, na Índia. O lago é muito raso: apenas cerca de 2 metros.

Para lá chegar é preciso fazer uma caminhada quase épica que atrai os caminhantes, que se deixam seduzir pela proeza física, pelas vistas que o percurso oferece e pelo mistério do local.

Os primeiros relatos dos restos ósseos datam do século 19, mas foram redescobertos por Nanda Devi H K Madhwal, um guarda de caça indiano, em 1942. Este homem encontrou alguns dos esqueletos no leito do lago quando ele estava congelado. No verão, o lago derreteu e revelou mais esqueletos no lago e seus arredores. O guarda se perguntou quem eram aquelas pessoas que morreram em circunstâncias estranhas. Um grupo de soldados? Viajantes presos por uma tempestade? Peregrinos que não souberam encontrar o caminho de volta?

A área é conhecida localmente como o “lago misterioso” e é um ponto de parada na peregrinação Nanda Devi Raj Jat. Após anos de especulação e investigações nada esclarecedoras, o lago foi objeto de um novo estudo em 2004 para analisar muitos dos crânios encontrados nele.

O estudo encontrou alguns impactos estranhos que os pesquisadores relacionaram ao gelo, levando à ideia de que essas pessoas morreram devido ao frio. Isso também teria ajudado a preservar os corpos, a julgar pela descoberta de uma múmia quase intacta no misterioso Lago dos Esqueletos.

Para surpresa dos pesquisadores, o estudo do DNA revelou que os ossos pertenciam a pessoas de duas tribos diferentes, mas que eram aparentadas, o que só acrescentou mais mistério ao assunto. No entanto, há mais. Pesquisas posteriores descobriram, além dos crânios, pedaços de carne, unhas e cabelos, além de artefatos de madeira, pontas de lança de ferro, sapatos de couro e joias.

Cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, realizaram a datação por radiocarbono dos restos mortais e determinaram que eles datavam de cerca de 850 DC. Como não havia indícios de morte violenta nos restos mortais, os pesquisadores acreditavam que as pessoas haviam morrido de causas naturais.

O lago misterioso no Himalaia onde foram encontrados 300 esqueletos

Peregrinações mortais

No entanto, a descoberta das pontas de lança de ferro, que só foram utilizadas na região muito mais tarde, levou os pesquisadores a acreditar que essas pessoas vieram de terras distantes. Além disso, a análise de DNA revelou que os indivíduos vieram de diferentes partes do mundo. Alguns deles pertenciam a um grupo de pessoas do Mediterrâneo, que provavelmente pertenciam a um grupo de mercadores ou mercenários, e outros vieram do leste da Ásia, possivelmente do Tibete ou do Nepal.

O mistério se aprofundou ainda mais quando os pesquisadores descobriram que os restos mortais das pessoas do grupo mediterrâneo datavam do século IX, enquanto os do leste da Ásia datavam do século XIII. Isso significa que esses dois grupos de pessoas morreram no lago em momentos diferentes, separados por centenas de anos.

Os pesquisadores concluíram que o Lago dos Esqueletos era um local de passagem, uma espécie de “encruzilhada” onde pessoas de diferentes partes do mundo se encontravam e morriam. Os pesquisadores não conseguiram determinar a causa exata da morte, mas acreditam que pode ter sido devido a desastres naturais como granizos gigantes.

A Lenda do Lago dos Esqueletos

Segundo a lenda local, os restos mortais encontrados em Roopkund, na Índia, têm uma história de origem fascinante e trágica. Diz-se que Raja Jasdhaval, o rei de Kanauj, estava viajando com sua esposa grávida Rani Balampa e um grupo de servos, dançarinos e outras pessoas em peregrinação ao santuário Nanda Devi.

Esta peregrinação, conhecida como Nanda Devi Raj Jat, é celebrada a cada 12 anos. Durante a jornada, acredita-se que uma divindade enfurecida arremessou bolas de ferro do céu, atingindo os viajantes e matando todos eles. Alguns pesquisadores acreditam que essas “bolas de ferro” podem na verdade ser pedras de granizo que caíram do céu durante uma tempestade e causaram a extinção do grupo.

Existem algumas evidências que dão credibilidade a essa lenda. Por exemplo, os pesquisadores encontraram espalhados entre os restos humanos o que parecem ser guarda-chuvas que poderiam ter sido usados durante uma procissão. Além disso, alguns dos crânios encontrados no local mostram fraturas não cicatrizadas, que podem ter sido causadas por granizo. Embora essa lenda sempre tenha sido vista apenas como isso – uma lenda – é possível que haja alguma verdade na história.

Independentemente das circunstâncias exatas de suas mortes, é claro que o grupo teve um fim trágico. É um mistério assombroso e fascinante que continua a cativar as pessoas até hoje. Apesar da passagem do tempo e das muitas teorias que foram propostas, a verdadeira história dos restos mortais de Roopkund permanece envolta em mistério.