O curioso caso dos pacientes chineses de COVID-19 que ficaram com a pele marrom

Recentemente o destino de dois médicos que estavam na linha de frente em relação ao combate contra o novo coronavírus, mudou drasticamente: eles foram infectados pelo COVID-19 em janeiro, enquanto tratavam pacientes no Hospital Central de Wuhan.

 Yi Fan e Hu Weifeng, ambos com 42 anos, eram colegas do Dr. Li Wenliang, o primeiro denunciante que alertou o mundo sobre o novo vírus perigoso e foi rapidamente repreendido pelo governo chinês. O Dr. Li Wenliang faleceu em 7 de fevereiro de 2020, por uma nova infecção por 2019-nCoV enquanto estava em uma unidade de terapia intensiva (UTI). Tanto Yi Fan e Hu Weifeng teriam o mesmo destino do amigo, se não fosse pelos múltiplos esforços da equipe médica e de enfermagem que lutaram bravamente para manter suas vidas.

Foto: Reprodução/ Youtube

Os dois médicos passaram mais de um mês na UTI e só recuperaram a consciência este mês quando, inclusive, descobriram que sua aparência havia mudado drasticamente.

A imprensa chinesa divulgou recentemente imagens de antes e depois dos médicos e sua mudança radical de pigmentação de pele: ambos ficaram com suas peles escurecidas por conta de um medicamento usado nos primeiros dias do tratamento. Entretanto, um dos efeitos colaterais da droga não mencionada é uma alteração na tonalidade da pele.

Foto: Reprodução/ Youtube

O Dr. Yi, cardiologista de Wuhan, conseguiu sobreviver ao Covid 19 depois de ter sido colocado em uma máquina de oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO) por 39 dias. Este sistema avançado substitui a função do coração e pulmões bombeando oxigênio para o sangue.

Ele disse aos repórteres que estava se recuperando bem, mas ainda não conseguia se levantar e andar sozinho, além de ter mencionado os traumas mentais que a doença havia deixado, marcados por pesadelos frequentes e irritabilidade. Já o Dr. Hu estava em uma condição bem mais complicada na época em que o vídeo foi feito, sendo que nem falar ele conseguia. Hu é cardiologista e estava de cama por 99 dias quando os médicos relataram estarem preocupados com seu estado mental.

Foto: Reprodução/ Youtube

Os profissionais da saúde acreditam que a condição de alteração no tom de pele seja temporária e que tudo pode voltar ao normal. Agora, o mais importante é que eles se recuperem e também recebam tratamento psiquiátrico e psicológico para que possam se recuperar da experiência traumática que vivenciaram.

Veja só um trecho do ocorrido no Youtube:

Via: NYPOST,  DailyMail

você pode gostar também
1 comentário
  1. Paulo Cesar Rodrigues Diz

    Processo deve ser coisa boa, a mulherada vai adorar, além de mudar a cor, esticar os olhos, encrespar o cabelo, pelas imagens, após alimentação parental se pressupões, ainda engorda. Coisa boa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.