O caçador que foi morto após um elefante baleado cair e esmagá-lo

A humanidade, de várias maneiras, traz um impacto profundamente negativo na vida selvagem. De jogar lixo em vulcões a manter seres em cativeiro quando não deveríamos, não é de surpreender que os animais às vezes decidem “revidar”.

O caçador Theunis Botha supostamente aprendeu essa lição da maneira mais difícil. Na aldeia de Gwai, no Zimbábue, ele e seus colegas se depararam com uma manada de elefantes em reprodução. Avistando a ameaça, os elefantes atacaram o grupo e Botha disparou um ou dois tiros.

Emboscando-o de lado, um dos elefantes avançou em sua direção e o ergueu no ar com sua tromba. Outro caçador atirou no elefante, esperando que ele largasse Botha e fugisse. O tiro provou ser fatal, no entanto – e quando o elefante desabou, Botha caiu embaixo dele e foi então esmagado até a morte.

A caça esportiva é controversa por várias razões óbvias. Embora alguns argumentem que há alguns benefícios ecológicos para a caça cuidadosamente gerenciada, na realidade, a maior parte envolve ajudar a eliminar espécies extremamente vulneráveis, o que sem dúvida é uma coisa terrível.

Em um nível muito básico, a luta é injusta: esses animais bastante majestosos não esperam que os humanos se aproximem deles e, quando o fazem, estão armados com rifles de longa distância, carros e às vezes um helicóptero. Não há nada digno em matar um animal inofensivo por esporte.

Esta fatalidade mostra que a vida selvagem não deve ser subestimada. Se as pessoas decidirem tentar matá-los, eles vão resistir – e às vezes, eles vão conseguir uma vitória, mesmo na morte, ao que parece.

Botha, da África do Sul, era supostamente um caçador conhecido na região e frequentemente se aventurava nos Estados Unidos para encorajar os americanos de alta renda a participar do esporte. Ele costumava ser visto caçando com seus cães.

[Fontes: Netwerk24 via News24]

buy metformin metformin online