O buraco mais profundo já cavado

Versão em vídeo:

Versão em texto:

Quando criança, quem nunca pensou na possibilidade de cavar um buraco tão profundo a ponto de chegar no Japão, que atire a primeira pedra! Apesar de ser tecnicamente impossível um buraco dessa proporção –  já que teria que passar pelo centro do planeta, partindo do Brasil – a ideia de túneis subterrâneos capazes de ligar um lugar a outro sempre foi algo que fascinou os seres humanos. A prova disso são as nossas linhas de metrô, trens, e até mesmo os elevadores.

Mas, voltando um pouco mais para o nosso imaginário… será que é possível alguém cavar um buraco tão profundo assim no planeta Terra? O que seria encontrado durante esse processo? Será que alguém já fez isso alguma vez na história?

A resposta é sim. E hoje você conhecerá o Poço Superprofundo de Kola, o buraco mais profundo cavado pelo homem na Terra.

@Shutterstock

Durante a Guerra Fria, as duas superpotências mundiais, Estados Unidos da América e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, se encontravam em uma infindável corrida armamentista em busca de progresso técnico, tecnológico, científico e bélico. Muitos experimentos foram conduzidos a partir do trágico final da Segunda Guerra Mundial, que aconteceu em 1945, e prosseguiram até 1991, quando se deu a extinção da URSS.

Foi nesse intervalo de tempo que a União Soviética lançou um projeto de prospecção científica bem fora do comum: o de cavar um super buraco, visando perfurar a crosta terrestre o mais profundamente possível para fins de estudo.

Imagem de Kola, tirada em 2007/  @Wikipedia

Essa prospecção teve início em 24 de maio de 1970, na península de Kola, em território russo, e contou com perfurações de vários outros poços como ramificações de um poço central. O objetivo inicial era chegar, no mínimo, aos quinze mil metros de profundidade.

Durante todo o processo – que durou vinte anos – muitas lendas surgiram: uma delas foi a de que essa seria uma grande abertura para o inferno. Muitos russos nos arredores alegavam ouvir o barulho de almas sendo torturadas e de sentir o cheiro de fogo e enxofre que vinham das profundezas do hades. Porém, mal sabiam essas pessoas que a broca ainda estava a apenas um terço do caminho entre a crosta e o manto da Terra.

No dia 6 de junho de 1979, o recorde de profundidade –  exatos 9 583 metros, que antes pertencia ao poço de ‘Bertha Rogers’, em Oklahoma, Estados Unidos –  foi quebrado.

Já em 1989 as escavações chegaram a 12 262 metros, tornando-se o mais profundo poço já perfurado e o ponto artificial mais profundo da Terra.

@Shutterstock

Três anos mais tarde, em 1992, a perfuração teve de ser interrompida: a temperatura já chegava a 180°C, marcando o dobro do esperado para aquela profundidade, de forma que os equipamentos utilizados já não eram mais suficientes para essa tarefa.

Com o colapso da União Soviética em 1991, os cofres públicos se encontravam vazios para financiarem esse tipo de projeto, de modo que o super poço acabou, por fim, sendo abandonado e fechado.

@Wikimedia Commons

Hoje em dia, o local permanece abandonado, mas não deixou de se tornar um destino turístico para os aventureiros além de um marco para, quem sabe, fortificarmos o nosso imaginário para as possibilidades de uma viagem ao centro da Terra.

E você, teria coragem de visitar esse lugar pra lá de esquisito? Conte pra gente nos comentários!

você pode gostar também
1 comentário
  1. vi Diz

    pra que meu deus?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.