Netflix decide cortar polêmica cena de suicídio em “Os Treze Porquês”

A Netflix confirmou que editou a controversa cena de suicídio de Os Treze Porquês pela primeira vez depois de consultar especialistas.

O momento gráfico acontece no episódio final da primeira temporada, mostrando Hannah Baker (Katherine Langford) tirando a própria vida em sua banheira. Agora, a cena foi alterada para mostrar apenas Hannah olhando no espelho antes de se cortar, e a reação de seus pais a sua morte em uma cena posterior.

Em um comunicado, a Netflix disse: “Nós ouvimos de muitos jovens que a série Os Treze Porquês os encorajaram a iniciar conversas sobre questões difíceis como depressão e obtiveram ajuda – muitas vezes pela primeira vez. Enquanto nos preparamos para a terceira temporada, ainda neste verão, estamos atentos ao debate em andamento em torno do programa. Assim, a conselho de especialistas médicos, incluindo a Dra. Christine Moutier, Diretora Médica da Fundação Americana para Prevenção ao Suicídio, decidimos com o criador Brian Yorkey e os produtores editar a cena em que Hannah tira a própria vida na primeira temporada.” [10 coisas que você precisa saber sobre o suicídio]

Showrunner Yorkey acrescentou: “Era nossa esperança tornar Os Treze Porquês um programa de televisão que contasse uma história que ajudasse jovens espectadores a se sentirem vistos e ouvidos, e incentivar a empatia em todos que a assistiam, como o livro best-seller fez antes.

“Nossa intenção criativa em retratar a realidade feia e dolorosa do suicídio em detalhes tão gráficos na primeira temporada era contar a verdade sobre o horror de tal ato e garantir que ninguém jamais desejasse imitá-lo.

“Mas, enquanto estamos prontos para a terceira temporada, ouvimos as preocupações sobre a cena da Dra. Christine Moutier na Fundação Americana para Prevenção ao Suicídio e outras pessoas, e concordamos com a Netflix em reeditá-la.

“Nenhuma cena é mais importante do que a vida, e a mensagem é que devemos cuidar melhor uns dos outros. Acreditamos que essa edição ajudará o programa a ser melhor para a maioria das pessoas enquanto atenua qualquer risco para pessoas especialmente vulneráveis”.

A organização beneficente Samaritans acolheu a decisão da Netflix, e Lorna Fraser, líder executiva do Serviço de Consultoria de Mídia, disse à Radio Times que também “levantou … preocupações sobre o conteúdo”, fornecendo conselhos à Netflix “sobre o retrato seguro do suicídio”.

“Embora a cobertura de temas difíceis no drama possa ajudar a aumentar o entendimento e incentivar as pessoas a buscar ajuda, é importante que isso seja feito de maneira responsável, devido aos riscos evidenciados associados à cobertura desse tópico na mídia”, acrescentou Lorna.

“Os produtores devem sempre procurar aconselhamento de especialistas sobre a representação do suicídio, para garantir que qualquer risco para os espectadores vulneráveis ​​seja minimizado.”

A série da Netflix tem atraído controvérsia por sua representação do suicídio desde seu lançamento, há mais de dois anos.

Mais recentemente, um estudo descobriu que as taxas de suicídios de adolescentes aumentaram após o lançamento do programa, embora a série tenha reagido e argumentado que ajuda a punir os estigmas que cercam a ansiedade e a depressão.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.