fbpx

Navios fantasmas da Segunda Guerra Mundial emergem após uma erupção

A Segunda Guerra Mundial foi um evento muito triste, que o mundo todo até hoje enfrenta os danos trazidos por ela.
Em muitos locais perigosos, existem bombas ainda ativas, além de cidades atingidas que até os dias de hoje enfrentam os danos causados pela guerra.

Com frequência, historiadores se surpreendem com achados que revelam um pouco mais da história e do poderio bélico tanto das tropas do eixo como das tropas dos aliados.
Sendo assim, uma recente aparição surgiu para surpreender ainda mais os historiadores: após uma atividade sísmica de um vulcão subaquático próximo de Tóquio, cerca de duas dúzias de “navios fantasmas” assustadores surgiram.

Imagem: Lance Cpl. Courtney White/United States Marine Corps)

 

Esses navios foram afundados afundados após uma das batalhas mais famosas da Segunda Guerra Mundial: a Batalha de Iwo Jima que aconteceu em 1945.

A Batalha de Iwo Jima que afundou esses navios no pacífico foi uma das mais sangrentas de toda a Guerra: durante 36 dias, as forças dos EUA enviou cerca de 70.000 fuzileiros navais para lutarem contra cerca de 20.000 soldados japoneses que estavam escondidos em bunkers dentro das rochas vulcânicas da ilha. Ao final da batalha, todos os 20.000 fuzileiros navais foram mortos em combate, exceto os 216 capturados vivos que restaram para contar a história.

Foram 24 navios ao todo que que chegaram à costa no lado oeste da ilha de Iwo Jim, há cerca de 1.200 quilômetros ao sul de Tóquio e são tudo o que sobrou do combate. De acordo com os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos, Iwo Jima não tinha um porto na época, de modo que os navios foram afundados paralelamente à costa para formar um quebra-mar. As imagens obtidas do achado foram feitas por fotógrafos em helicópteros do Japão All Nippon News (ANN).

O vulcão Fukutoku-Okanoba está em erupção subaquática desde agosto e, além de empurrar os navios e o fundo do mar sobre os quais eles repousam, a atividade sísmica produzida pelo vulcão também provocou o surgimento de uma pequena ilha em forma de lua crescente no mar, formada com pedra-pomes e cinza vulcânica
Curiosamente, a ilha deve desaparecer em breve devido à erosão, de acordo com Setsuya Nakada, diretor do Centro de Pesquisa Integrada de Vulcões do governo japonês.

Surpreendentemente, Iwo Jima tem experimentado um aumento de eventos sísmicos nas últimas semanas, de acordo com a agência meteorológica e, como faz parte das Ilhas Bonin, uma cadeia de cerca de 30 ilhas subtropicais no Oceano Pacífico, está em constante atividade sísmica e pode estar se preparando para uma erupção.
Atualmente Iwo Jima é desabitada e raramente visitada por civis, já que além do grande perigo que se esconde, também conta com enormes quantidades de bombas e granadas não detonadas deixadas para trás na ilha.

[Live Science]

você pode gostar também