Mulher fica cega após usar lente de contato no chuveiro

O hábito de manter as lentes de contato enquanto nadava e tomava banho trouxe sérias consequências para essa mulher: ela desenvolveu uma infecção ocular rara que a deixou cega de um olho, de acordo com um novo relatório do caso.

A mulher de 41 anos, que mora no Reino Unido, procurou o oftalmologista depois de começar a enxergar embaçado, ter dor nos olhos e sensibilidade à luz em seu olho esquerdo por dois meses, segundo o relatório, publicado semana passada no New England Journal of Medicine.

Ela disse aos médicos que usava lentes de contato descartáveis e que as mantinha enquanto nadava e tomava banho, segundo o relatório.

Um exame oftalmológico mostrou que a visão dela era 20/200 no olho esquerdo, o limite para ser “legalmente cego” nos Estados Unidos. Seu olho direito não foi afetado.

Os médicos podiam ver uma nebulosidade ou neblina na córnea das mulheres, a cobertura externa transparente do olho. Eles realizaram outro teste que usa um corante especial para detectar danos a essa cobertura. Durante este teste, qualquer dano à córnea apareceria verde quando os médicos brilhassem uma luz azul no olho, de acordo com o National Institutes of Health.

Os médicos viram que, de fato, um defeito na córnea da mulher pareceu verde durante o teste.

Amostras do olho testaram positivo para ceratite por Acanthamoeba, uma infecção parasitária rara da córnea. A infecção é conhecida por prejudicar a visão de uma pessoa e está ligada ao uso de lentes de contato, de acordo com o estudo, liderado pelo Dr. Lanxing Fu, do Hospital Real de Olhos de Manchester, no Reino Unido.

Acanthamoeba é uma ameba que é comumente encontrada na água, solo e ar, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Usuários de lentes de contato correm o risco de contrair essa infecção se adotarem determinadas práticas, como desinfetar lentes com água corrente ou nadar ou tomar banho enquanto as usam, segundo o CDC.

A mulher foi tratada com medicamentos oculares que eliminaram a infecção. Mas ela ficou com perda de visão no olho esquerdo devido a uma cicatriz na córnea, segundo o relatório. Um ano depois, a mulher foi submetida a um transplante parcial de sua córnea, que substituiu parte de seu tecido corneano danificado por tecido saudável de um doador falecido.

Após a cirurgia, sua visão do olho esquerdo melhorou um pouco, mas ainda estava prejudicada, embora ela não tivesse mais dor.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.