fbpx

Mulher de 26 anos quase perdeu a perna depois de entrar em hidromassagem

As recentes férias em família de uma mulher de Indiana se transformaram em um pesadelo quando ela contraiu uma infecção por causa da banheira de hidromassagem – a infecção foi tão severa que os médicos temiam que ela perdesse a perna.

Embora tenha sido um desafio alguns meses, Taylor Bryant está contando suas bênçãos após várias rodadas de antibióticos e uma estadia de quatro dias no hospital que finalmente levaram seu corpo a combater com sucesso a infecção sem uma amputação.

“Eu estava agradecida por ter a minha perna, mas mais do que isso, estou aqui hoje”, disse a mulher de 26 nativa do Indianápolis, EUA. “Havia muitos dias em que eu estava triste e sentindo-me como se não estivesse melhorando. Meu médico me lembrou que leva tempo para curar”.

No início deste ano, Bryant tirou férias no Tennessee com o marido e os dois filhos pequenos.

Enquanto eles estavam hospedados em um hotel em Pigeon Forge, em 27 de março, Bryant disse que começou a sentir náuseas e cãibras na perna direita.

A dor e o inchaço só continuaram a piorar, então Bryant foi para um centro de cuidados urgentes nas proximidades no dia seguinte, onde foi prescrita um antibiótico para tratar. Infelizmente, a medicação não ajudou a mãe de dois filhos e, em 29 de março, a família retornou a Indianápolis, com Bryant procurando atendimento de seu médico particular.

Nesse ponto, uma erupção cutânea intensa se desenvolveu em sua perna e a dor tornou-se tão excruciante que ela descreveu como “pior que o trabalho de parto”.

“Dentro de 24 horas após a erupção, eu não conseguia andar”, diz Bryant. “[Minha perna] estava inchada e a erupção estava se espalhando”.

Os médicos diagnosticaram Bryant com foliculite, uma infecção bacteriana da pele potencialmente fatal. Ela recebeu um tratamento de 10 dias com antibióticos mais fortes, mas, novamente, as drogas não melhoraram sua condição. Os médicos então a encaminharam para um especialista em doenças infecciosas e a mantiveram no hospital por quatro dias e três noites.

Durante esse tempo, os profissionais médicos também disseram à mãe que ela poderia precisar de uma amputação de perna se as coisas continuassem a piorar – uma possível realidade que a aterrorizava.

Durante toda a experiência aterrorizante, Bryant tirou fotos de sua perna enquanto ela piorava progressivamente. Em algumas fotos, sua carne infectada podia ser vista sob sua pele enegrecida, enquanto outras mostravam sua erupção vermelha borbulhando, empolando e descascando. [ATENÇÃO: Conteúdo gráfico: Foto 1, Foto 2, Foto 3]

Finalmente, após duas semanas de antibióticos intravenosos, os médicos disseram a Bryant que sua medicação estava combatendo a infecção com sucesso – notícias que a mãe de dois filhos havia esperado tanto tempo para ouvir.

De acordo com Bryant, os médicos suspeitaram que ela havia contraído a infecção depois de entrar na banheira de hidromassagem do hotel enquanto estava de férias. Por causa da experiência traumática, ela diz que vai pensar de forma diferente sobre os próximos espaços de água compartilhados.

Agora, quase quatro meses após o susto, Bryant diz que voltou ao trabalho e continua a curar suas feridas aplicando creme em sua perna duas vezes ao dia e usando meias de compressão em ambas as pernas diariamente.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, a doença na banheira de hidromassagem foi causada por uma infecção com um germe comum chamado Pseudomonas aeruginosa.

A condição ocorre quando a pele de uma pessoa entra em contato com águas contaminadas, como uma banheira de hidromassagem mal conservada, por um longo período de tempo. Também pode ocorrer a partir de uma piscina ou lago contaminado.

Uma pessoa com erupção cutânea tipicamente apresenta sinais de erupção cutânea irregular e pode ter “bolhas cheias de pus ao redor dos folículos pilosos”.

Embora a maioria das erupções desapareça por conta própria em poucos dias, alguns casos podem durar mais tempo, para os quais o CDC aconselha procurar atendimento médico.

Para reduzir o risco de uma erupção na banheira de hidromassagem, o CDC recomenda o uso de cloro e outros desinfetantes, lavar bem o maiô depois de estar na água e garantir que os níveis de pH da mesma tenham sido verificados pelo menos duas vezes ao dia. [Mirror]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.