Pular para o conteúdo
Mulher caça 10 integrantes de cartel mexicano que sequestraram sua filha

Mulher caça 10 integrantes de cartel mexicano que sequestraram sua filha

Miriam Rodrigues era uma mãe cujo mundo virou de cabeça para baixo quando sua filha, Karen, foi sequestrada. Ela ficou horrorizada e com o coração partido com o pouco que as autoridades estavam dispostas a fazer para encontrar sua filha e trazê-la para casa em segurança.

Determinada a resolver o problema com as próprias mãos, Miriam lançou sua própria investigação.

Ao contrário de seu homólogo de Hollywood, Liam Neeson, Miriam não estava em busca de sangue. Ela estava simplesmente procurando por respostas e realizando a investigação que as autoridades não estavam empenhadas em fazer.

Ela suspeitava do envolvimento de um dos cartéis de drogas mais perigosos do México, Los Zetas, no sequestro de sua filha. Miriam se disfarçou de profissional de saúde e deixou transparecer que estava realizando uma pesquisa local na área. Por meio de sua investigação, ela conseguiu reunir informações suficientes para a polícia prender o homem que ela suspeitava estar envolvido no sequestro de sua filha.

Mulher caça 10 integrantes de cartel mexicano que sequestraram sua filha

Miriam Rodríguez/Facebook

Com a ajuda de seu filho Luis, Miriam conseguiu colocar esse membro da gangue atrás das grades e, uma vez que ele foi preso, ele estava mais do que disposto a revelar os nomes de outros membros da gangue. Isso levou a uma descoberta devastadora – Karen havia sido morta.

Isso alimentou ainda mais a missão de Miriam de derrubar os notórios membros da gangue responsáveis.

Nos três anos seguintes, Miriam adotou muitos disfarces diferentes; mudar o cabelo, se passar por funcionários eleitorais, aproximar-se de familiares inocentes para obter informações, tudo para que ela pudesse aprender todos os detalhes sobre as pessoas responsáveis ​​pelo sequestro e morte de sua filha.

Seu trabalho árduo e dedicação valeram a pena, pois ela conseguiu encontrar 10 membros de gangues diferentes que tentaram fugir e começar uma nova vida.

Embora sua missão a tornasse uma figura de esperança e admiração entre outras famílias enlutadas em San Fernando, cidade de Miriam, que haviam perdido seus entes queridos para o cartel, também a colocou em uma posição seriamente perigosa.

A morte de Miriam

Mulher caça 10 integrantes de cartel mexicano que sequestraram sua filha 3

Miriam Rodríguez/Facebook

Os membros do cartel eram implacáveis e não paravam por nada para manter suas operações funcionando. Miriam sabia disso e sabia que sua vida estava em risco, mas ela estava disposta a fazer o que fosse preciso para trazer justiça para sua filha e outras famílias afetadas pelos criminosos.

Em 2017, a vida de Miriam teve um fim abrupto quando ela foi morta a tiros em sua casa. A mãe enlutada foi morta em 10 de maio – Dia das Mães no México – quando homens armados invadiram sua casa e atiraram nela 12 vezes. Foi um fim trágico para o amor, devoção e determinação de uma mãe.

Embora Miriam tenha solicitado proteção armada nos anos após a queda do cartel, ela disse uma vez, conforme relatado pelo New York Times: “Não me importo se eles me matarem. Morri no dia em que mataram minha filha.” Suas palavras mostram a profundidade de seu amor por sua filha e sua disposição de sacrificar sua própria vida por justiça.

O filho de Miriam, Luis, continua a missão de sua mãe, ajudando a encontrar membros do cartel responsáveis pelo sequestro e assassinato de entes queridos de famílias por meio do Coletivo de Ativistas de Pessoas Desaparecidas de San Fernando. Ele carrega o legado de sua mãe e trabalha para garantir que as famílias de outras vítimas do cartel tenham o encerramento e a justiça que merecem.

Miriam Rodrigues foi uma mãe que se recusou a desistir de sua filha e se recusou a deixar que as autoridades varressem o caso de sua filha para debaixo do tapete. Ela foi uma mulher de determinação, coragem e amor, que apesar de seu trágico fim, sempre será lembrada como uma heroína.