‘Moscapocalipse’ assusta moradores de cidade na Rússia

Um fazendeiro da região de Sverdlovsk, na Rússia, supostamente fertilizou seu campo com cocô de galinha e, inadvertidamente, desencadeou um “moscapocalipse”, de acordo com as informações da imprensa local.

As imagens recentemente captadas pela agência estatal de notícias Channel One Russia e compartilhadas on-line em 13 de junho revelaram visões perturbadoras da vila de Lazorevy. No vídeo, pilhas de moscas mortas e quase mortas cobrem pisos, mesas e outras superfícies nas casas dos moradores. Enquanto isso, ao ar livre, enxames de moscas fervilhantes se juntam em estradas, pátios e campos.

Moradores de Lazorevy disseram ao Channel One que as origens da “praga” podem ser atribuídas a um fazendeiro local chamado Andrei Savchenko, que supostamente espalhou em seus campos toneladas de fertilizantes feitos de excrementos de galinha. As fezes, que vieram de uma granja avícola próxima, tinham milhões de ovos de moscas, informou o Channel One.

Um morador local, visto no vídeo varrendo moscas mortas do chão de sua casa, disse que todos os dias ele varria cadáveres minúsculos suficientes para encher pelo menos metade de um balde, segundo o The Guardian.

“É insuportável. As moscas estão em toda parte”, disse outro morador.

Densas nuvens de moscas apareceram pela primeira vez em Lazorevy semanas atrás, informou o Channel One. Desde então, os moradores e as autoridades locais se voltaram para os pesticidas para controlar os invasores aéreos, mas desde que as moscas se reproduzem tão rapidamente, os sprays tóxicos forneceram apenas um breve alívio dos insetos antes de seus números incharem novamente.

Ser vizinho de milhões e milhões insetos voadores é compreensivelmente horripilante, mas também traz a ameaça de doenças. Os aldeões também estão preocupados que o uso generalizado e prolongado de produtos químicos para matar as moscas possa prejudicar a saúde humana.

As autoridades abriram uma investigação criminal para determinar se o uso ilegal de resíduos perigosos poderia ter desencadeado os enxames. No entanto, Savchenko insiste que ele não é responsável pelas moscas, afirmando que “as moscas existem há milhões de anos e estão em toda parte”.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.