Pular para o conteúdo
Meteorito que caiu no Reino Unido contém blocos de construção para a vida

Meteorito que caiu no Reino Unido contém blocos de construção para a vida

O primeiro meteorito do Reino Unido em 30 anos, conhecido como Winchcombe, contém aminoácidos e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAHs), que são compostos orgânicos essenciais para a vida na Terra. A descoberta desses compostos confirma a importância do meteorito, pois fornece informações valiosas sobre as origens da vida em nosso sistema solar.

O Winchcombe também parece representar uma nova classe de meteoritos, de acordo com um artigo recente publicado na Meteoritics and Planetary Science. Alguns dos materiais da rocha foram alterados de forma a sugerir pelo menos três pequenas explosões de água líquida no corpo do asteróide de onde veio. Esta é uma descoberta significativa, pois sugere que a água, e potencialmente os blocos de construção da vida, podem ser mais comuns no cinturão de asteroides do que se pensava anteriormente.

Os meteoritos são fontes valiosas de informação sobre a história e evolução do sistema solar, pois são pedaços de asteroides que foram arrancados de seus corpos por colisões. Quando a composição de um meteorito e sua órbita anterior podem ser combinadas, aumenta muito nossa compreensão da história do sistema solar.

Pesquisadores do Reino Unido foram capazes de usar a trajetória de voo do meteorito Winchcombe para determinar sua origem no cinturão de asteróides, tornando-o um dos primeiros 40 meteoritos cujas origens puderam ser rastreadas.

Quase imediatamente após a descoberta da rocha espacial, ficou claro que era uma descoberta importante. Dentro de duas semanas, a provável presença de minerais portadores de água foi relatada. Como um condrito carbonáceo, que compõe apenas 4% dos meteoritos e pode ter semeado a vida na Terra, o meteorito Winchcombe se destacou. Condritos carbonáceos contêm uma grande variedade de compostos orgânicos, incluindo aminoácidos, que são considerados os blocos de construção da vida.

O fato de a primeira das quatro peças sobreviventes ter sido coletada 12 horas após o pouso, permitindo pouco tempo para contaminação, acrescentou valor ao meteorito. Como a abundância de material orgânico era 10 vezes menor do que em outros condritos carbonáceos, poderia não ser distinguível da contaminação terrestre se não tivesse sido recuperado tão rapidamente. Do jeito que está, alguns dos aminoácidos encontrados são bastante raros na Terra, confirmando suas origens extraterrestres.

Infelizmente, devido à sua estrutura fraca, muito pouco do meteorito Winchcombe chegou ao solo. Apenas 600 gramas foram recuperadas, em comparação com um condrito carbonáceo de 27 quilos que caiu na Costa Rica em 2019.

Tal como acontece com a maioria dos asteróides, acredita-se que o meteorito Winchcombe era originalmente parte de um asteróide maior, e a peça que atingiu a atmosfera da Terra foi derrubada em uma colisão antes de vagar no espaço por um longo tempo.

A descoberta do meteorito Winchcombe fornece informações valiosas sobre a história do sistema solar e o potencial para a presença de água e os blocos de construção da vida em asteroides.