Pular para o conteúdo

Menino da Caixa: Polícia usa DNA para identificar uma criança encontrada morta em uma caixa há 65 anos

Mais de seis décadas depois que um menino foi encontrado morto em uma caixa na Filadélfia, os investigadores identificaram a criança com a ajuda de DNA.

No que viria a ser conhecido como o caso “Menino da Caixa”, a criança foi descoberta enrolada em um cobertor dentro de uma caixa de papelão em 25 de fevereiro de 1957, em uma área arborizada no nordeste da Filadélfia.

O menino tinha várias cicatrizes em seu corpo e seu cabelo havia sido cortado e raspado recentemente. A criança – que tinha entre 4 e 6 anos de idade – pesava apenas 30 quilos e parecia estar desnutrida.

Menino da Caixa

“Apesar das inúmeras tentativas de identificar a criança ao longo dos anos, a identidade do menino permaneceu um mistério. Por meio do trabalho de detetive e da análise de DNA, a polícia finalmente conseguiu identificar a criança”, disse o Departamento de Polícia da Filadélfia em um comunicado à imprensa na última terça-feira (6).

A polícia ainda não divulgou o nome do menino.

A CBS Filadélfia afirmou que a polícia conseguiu fazer a identificação usando informações genealógicas e análises de DNA que não estavam disponíveis no momento em que o crime foi cometido.

Linda Tamburri, uma das trabalhadoras que cuida da lápide da criança no Cemitério Ivy Hill, no noroeste da Filadélfia, contou que ficou emocionada por finalmente ter um nome para associar à pessoa cuja memória ela tem cuidado.

Mistérios do Mundo

Reprodução

A polícia, mesmo após várias décadas, nunca desistiu do caso. No ano passado, eles exumaram o corpo do cemitério de Ivy Hill para coletar material de DNA, criando um perfil que ajudou os especialistas a desvendar o passado do garoto e fazer a sua identificação.

O caso é o homicídio não resolvido mais antigo da Filadélfia, segundo a polícia, que ainda está procurando o assassino da criança. Há uma recompensa de $ 20.000 por informações que levem à prisão e condenação do caso.

As autoridades da cidade vão realizar uma coletiva de imprensa em 8 de dezembro para discutir os novos desenvolvimentos. A comissária de polícia da Filadélfia, Danielle Outlaw, juntamente com o legista da cidade e o chefe da unidade de homicídios do departamento de polícia, estarão presentes para compartilhar informações, disse o comunicado.