Médico explica como ele foi capaz de se comunicar com um paciente ‘preso’ dentro de seu corpo

Ele não podia mover seus braços, pernas ou dedos. Ele ficou “preso” dentro de seu próprio corpo e mover as pupilas era tudo o que ele poderia fazer. É o que aconteceu com Terry Newberry, um engenheiro do País de Gales, que sofreu um grau extremo da síndrome de Guillain Bairre e – graças à criatividade do seu médico, ele conseguiu se comunicar.

A síndrome que Terry teve é caracterizada por uma “confusão” do sistema imunológico, que ataca as células nervosas pensando que é algum tipo de infecção. Assim explicou o médico que tratou o galês.

Em um artigo escrito em primeira pessoa para a BBC, o Dr. James Williams contou como encontrou uma maneira de comunicar-se com Terry apesar de suas limitações severas de movimento.

“Terry tem a minha idade e fiquei impressionado com a rapidez com que ele perdeu as habilidades básicas de comunicação. Estávamos muito preocupados com os danos psicológicos que isso poderia causar. Precisávamos estabelecer uma forma rápida e confiável de comunicação para ajudar a combater a síndrome”.

O especialista enfatizou que a síndrome de Guillain-Bairre não tem cura, apenas tratamentos que ajudam os órgãos a suportar a fraqueza até que o efeito da condição passe.

“Terry passou mais de 100 dias antes de estar bem o suficiente para deixar o hospital.”

Os outros médicos tinham tentado vários métodos para se comunicar com Terry: alguns erguiam as pálpebras e ele respondeu “sim” ao mover o olho de um lado, e “não” para o outro. 

No entanto, esta técnica tinha problemas. Por exemplo, os olhos cansavam ou ele estava dormindo e não podia responder. Era extremamente difícil se comunicar.

Isto é, até o Dr. Williams tentar uma outra técnica: uma tela para a comunicação com o contato visual, tecnologia usada para as pessoas com alguma deficiência.

Graças a esta tecnologia, Terry conseguiu voltar a se comunicar através de palavras e frases curtas, às vezes.

“Foi um grande avanço, especialmente para seus terapeutas que tinham lutado até o momento. Assim, Terry conseguiu de alguma forma falar de novo.”

Ao longo do tempo, o corpo de James começou a reagir e seus órgãos conseguiram recuperar a resistência. Após 100 dias no hospital, o homem foi capaz de ir para casa e continuar sua vida.

Veja também: Mais do autor

Comentários

Carregando...