NASA descobre planeta bizarro que poderia abrigar vida

por Lucas Rabello
526 visualizações

A NASA recentemente revelou uma descoberta impressionante: um planeta chamado LHS 1140 b, que está sendo considerado uma ‘super-Terra’ com potencial para abrigar vida. Esta revelação surge enquanto nossos avanços tecnológicos na exploração espacial continuam a alcançar novos patamares, mas ainda há muito que não sabemos sobre o cosmos. A humanidade sempre foi intrigada por uma questão profunda: Estamos sozinhos no universo ou existe vida extraterrestre em algum lugar?

Até agora, nenhum estudo forneceu uma resposta definitiva, mas uma investigação recente usando o famoso Telescópio Espacial James Webb (JWST) da NASA pode nos aproximar mais do que nunca. Uma equipe internacional de cientistas investigou a atmosfera de LHS 1140 b, gerando entusiasmo sobre suas potenciais semelhanças com a Terra.

Descoberto em 2017, LHS 1140 b tem seis vezes a massa da Terra. Estudos recentes sugerem que a temperatura na superfície do planeta pode ser de aproximadamente 20 graus Celsius. Esses estudos iniciais sugeriram que ele poderia abrigar um oceano de água líquida e uma atmosfera rica em nitrogênio—ingredientes essenciais para a vida como a conhecemos.

LHS 1140 b possui uma órbita quase circular com um raio de aproximadamente 0,09 unidades astronômicas (UA) e um período orbital de cerca de 24,7 dias terrestres . Esta órbita coloca o planeta dentro da zona habitável de sua estrela, onde as condições podem permitir a existência de água líquida na superfície.

Charles Cadieux, autor principal do estudo da Université de Montréal, comentou: “De todos os exoplanetas temperados atualmente conhecidos, LHS 1140 b pode ser nossa melhor aposta para, um dia, confirmar indiretamente a presença de água líquida na superfície de um mundo alienígena além do nosso sistema solar. Isso seria um marco importante na busca por exoplanetas potencialmente habitáveis.”

No entanto, os cientistas ficaram intrigados com a massa menor do que o esperado para um objeto de seu tamanho. Eles propuseram duas teorias: LHS 1140 b poderia ser um ‘mini-Netuno’, composto principalmente de gás em turbilhão, ou uma ‘mega-Terra’ coberta de água líquida ou congelada.

Para resolver esse mistério, os especialistas da NASA combinaram dados do JWST com observações de outros telescópios renomados, como o Hubble e o Spitzer. Suas descobertas sugerem que LHS 1140 b é mais provavelmente um ‘mundo aquático’ ou uma ‘bola de neve’ com um núcleo rochoso, em vez de um gigante gasoso.

Investigações adicionais revelaram ainda mais características semelhantes à Terra, incluindo a possibilidade de uma atmosfera espessa semelhante à nossa. O professor René Doyon, que supervisionou o estudo, afirmou: “A atual sugestão de uma atmosfera rica em nitrogênio pede confirmação com mais dados. Precisamos de pelo menos mais um ano de observações para confirmar que LHS 1140 b tem uma atmosfera, e provavelmente dois ou três anos para detectar dióxido de carbono.”

Lucas Rabello
Lucas Rabello

Fundador do portal Mistérios do Mundo (2011). Escritor de ciência, mas cobrindo uma ampla variedade de assuntos. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados