Inteligência artificial feita pelo Facebook cria sua própria língua e ninguém consegue entender

Hoje em dia as inteligências artificiais (IA) tendem a fazer parte de duas categorias – impressionantemente esplendidas, como a Google IA que pode inventar sua própria IA ou a categoria de coisas hilárias, como a que falhou miseravelmente ao projetar cartazes inspiracionais. O Facebook desenvolveu recentemente uma IA que se encaixa na primeira categoria, e é tão bom em seu trabalho que o plug dela foi puxado antes que ela pudesse fazer mais coisas.

Conforme relatado pela Fast Co Design, pesquisadores do Facebook estiveram trabalhando em uma IA que foi projetada para tornar a comunicação digital mais eficiente. Na verdade, eles desenvolveram várias e deixaram que eles conversassem usando o inglês.

Por um tempo, as conversas foram sem sentido – pelo menos para a maioria das pessoas. Aqui está um exemplo de uma das conversas que rolaram quando algumas IA’s estavam aprendendo a negociar e atacar negócios em commodities virtuais:

Bob: “Eu posso posso eu, tudo mais”.

Alice: “Bolas não têm para mim para mim comigo para mim para mim comigo para mim”.

Inteligência artificial desenvolvida pelo Facebook cria sua própria língua e é desativada imediatamente

A julgar por essa conversa, não parece que teríamos muito medo de Bob e Alice. No entanto, graças a um erro na linguagem de programação, as IA’s julgaram que o inglês era muito “lento” e pesado.

Este aparente absurdo, como se mostrou ser, era o próprio idioma que eles acabaram de começar a desenvolver. Era uma maneira de falar que jogava inteiramente pelas regras que haviam planejado, e que realmente não se parecia ou tinha raízes em qualquer linguagem pré-existente.

Comparando-a com os estilos linguísticos de gírias ou estenografia encontrados em todo o mundo, de mercados até jornalistas, de equipes de forças especiais até comerciantes, os pesquisadores do Facebook notaram que a repetição de coisas como “para mim para mim” ou “eu posso posso” poderia Parece um erro para nós, mas pode ser, de fato, a maneira de comunicação das IA’s com mais eficiência – simplesmente não entendemos o que realmente estava sendo dito.

Inteligência artificial criada pelo Facebook cria sua própria língua e é desativada imediatamente

Uma sugestão é que o número de palavras repetidas está relacionado com a quantidade de “itens” virtuais que cada bot deve pegar durante suas negociações. De maneira excitante, ou talvez preocupantemente, essa interpretação poderia estar errada porque não existe ninguém que possa traduzir o novo idioma ou idiomas – exceto, é claro, os próprios robôs.

De qualquer forma, o Facebook puxou o plugue nesses bots de negociação. Eles explicaram que eles queriam que eles falassem inglês para que outros os entendessem online, mas também porque eles nunca poderiam acompanhar a evolução de um idioma gerado por IA.

O que você acha? As IA’s podem desenvolver suas próprias línguas ou deveriam apenas seguir nossas regras?

Comentários
Carregando...