fbpx

Candidato à universidade de medicina tenta colar com implante Bluetooth colocado cirurgicamente em seu ouvido

O ingresso em universidades de medicina costuma ser extremamente concorrido no mundo inteiro. Porém, na Índia, um candidato que realizava uma prova de admissão ultrapassou todos os limites para tentar obter alguma vantagem em relação aos demais. De acordo com informações da imprensa indiana, um estudante foi pego na semana passada tentando colar na prova com um implante de Bluetooth colocado cirurgicamente em seu ouvido.

Google Street View | Reprodução

A descoberta bizarra foi feita na última segunda-feira, em Indore, na Índia, e segundo as autoridades do país o estudante em questão estava tentando entrar na faculdade há 11 anos. Segundo o ‘The Independent’, o estudante, que tentava entrar no Mahatma Gandhi Memorial Medical College, havia reprovado em todas as outras provas que já havia feito. E antes de entrar para a sala onde faria mais uma vez o exame, foi solicitado que ele e outros 13 concorrentes entregassem todos os dispositivos eletrônicos que possuíam. Ocorre que, pouco tempo depois, ele passou por uma revista detalhada por parte de um grupo de fiscais, que descobriu um celular no bolso interno da calça do candidato. Intrigados com a descoberta, os fiscais continuaram a vistoria, e acabaram por encontrar um implante na mesma cor da pele do estudante, colocado dentro do seu ouvido. Supostamente, a ideia por trás do implante era fornecer as respostas da prova, e este aluno não seria o único na sala a utilizar este método de trapaça.

Os fiscais presentes na universidade também encontraram outro aluno com um celular e um dispositivo Bluetooth no ouvido. Ao contrário do primeiro, no entanto, este segundo acessório auditivo não havia sido implantado cirurgicamente, e foi facilmente removido com um alfinete. Depois que seus dispositivos foram apreendidos, ambos os alunos receberam novas folhas de respostas. Embora não esteja claro por que eles foram autorizados a continuar depois da descoberta da trapaça, eles certamente ainda estão enfrentando sérios problemas. A faculdade já iniciou investigações em cada caso para determinar se eles devem ou não ser entregues à polícia – já que os alunos mentiram e usaram meios injustos durante uma prova oficial.

O mais impressionante de tudo foi que o primeiro aluno admitiu ter pago a um especialista em otorrinolaringologia para realizar o implante. Mesmo assim, os responsáveis pela universidade dizem que não estão assim tão surpresos com a descoberta, já que cada vez mais os candidatos estão desenvolvendo técnicas engenhosas para trapacear nessas provas. Com o número de aspirantes a médicos superando o número de vagas para este campo profissional, os indianos acabam tomando medidas extremas para tentar se destacar. Nos últimos anos, as autoridades já prenderam várias pessoas por vazar questões, manipular folhas de respostas e até mesmo contratar pessoas para fazer os testes por elas.

Em setembro de 2021, dez estudantes indianos foram presos por utilizar chinelos equipados com dispositivos Bluetooth enquanto faziam um exame para o cargo de professor. Eles estavam recebendo chamadas telefônicas nos dispositivos, que eram transmitidas para dispositivos secundários em seus ouvidos. Quanto ao último incidente, em Indore, a punição ainda permanece incerta.

AFP/Getty Images


Com informações do All That’s Interesting.

você pode gostar também