Há 50 anos, seu irmãozinho morreu misteriosamente. Uma foto no Facebook reabriu o caso

Durante nossas vidas enfrentamentos muitos mistérios e muitos deles conseguem ser revelados. Desde a verdadeira identidade do “Papai Noel” até a existência da fada dos dentes. Entretanto, os mistérios de assassinatos têm um caminho muito mais sombrio e tenebroso, onde em muitas ocasiões estes não conseguem chegar a uma solução.

Mas as redes sociais e a tecnologia ajudaram a revelar a verdade sobre os crimes que, inclusive, ocorreram há 50 anos.

Paul Booth e David Dearlove

Esta é a foto que desatou um redemoinho de revelações. Nela vemos David Dearlove, que se encontra sentado em frente a um muro de ladrilhos junto a uma pequena criança entre suas pernas. O menino se chamava Paul Booth, tinha 19 meses de idade e ninguém sabia que pouco tempo depois de que a foto foi tirada ele morreria.

Tudo aconteceu em um bairro da classe trabalhadora em Haverton Hill, ao norte da Inglaterra, em 1968. O que aconteceu ali jamais ficou em claro, pois a morte do menino foi tida como um acidente doméstico. “O menino caiu de cabeça no chão” e, supostamente, morreu devido ao impacto, segundo o The Washington Post.

Autor desconhecido

Paul, o menino que vimos na imagem, tinha dois irmãos mais velhos: Peter e Stephanie. Cinquenta anos depois, Peter revisava seu feed de notícias do Facebook e descobriu que o filho de David Dearlove havia publicado esta imagem e suas memórias afloraram.

Peter, que agora tem 53 anos, explicou que quando viu a foto no Facebook “ficou furioso” já que, segundo ele, David, o homem que acompanha seu irmão na imagem, havia assassinato o garoto.

Autor desconhecido

Seu rancor era tão forte que ele ele levou o caso ao tribunal e, depois de 50 anos, busca por justiça. Inclusive, vale a pena mencionar, que o suposto assassino tem hoje 71 anos de idade.

O fiscal que conduz o caso declarou que não existia nenhuma dúvida dos motivos de sua morte. “Morreu por causa das feridas severas produzidas em seu cérebro graças à fratura de seu crânio”. O grande mistério se encontra na hora de determinar quem causou essas feridas.

Paul Booth

De acordo às testemunhas que participaram do juízo, “Dearlove maltratava e abusava de 3 crianças naquela época”. Os irmãos Peter e Stephanie relataram alguns momentos horríveis pelos quais passaram naquela época.

“Se a gente se escondia em baixo da cama, ele te puxava pelos pés e batia na nossa cabeça”, contou Peter em um triste relato onde assegurou que o homem era um abusador.

David Dearlove

No dia no qual Paul morreu, precisamente se encontrava sob os cuidados de David e quando sua mãe notou que algo acontecia, descobriu que o homem tentava reanimar o menino, já inconsciente. “Assegurava que ele tinha caído da cama de cabeça no chão”, conta Peter.

Peter se baseou nos estudos que realizaram 50 anos atrás onde o fiscal contou que o menino padecia de muitos hematomas, fruto dos contínuos maltratos que sofria de David Dearlove.

Lamentavelmente, 2 anos depois do ocorrido, a mãe de Peter se separou de David e nos anos 90 veio a falecer, levando com ela para o caixão tudo o que ela sabia ou suspeitava do caso.

David Dearmore

Porém, quem ainda tinha memórias vigentes era Peter, e ele relatou o seguinte:

“Fui até a porta que conduzia ao quarto. Esta estava entreaberta e pude ver David Dearlove e meu irmão Paul ali. Pude ser que Dearlove balançava Paul enquanto o sujeitava com os braços estendidos.

O girou e, enquanto segurava Paul pelos tornozelos, o golpeou contra a chaminé. Paul estava de boca para cima, olhando para o teto. Houve uma queixa, um grito, e logo escutei minha mãe sair da cozinha e gritar “o que aconteceu?”. Dearlove segurava Paul no chão com seus bracinhos caídos. Eu tinha muito medo, por isso voltei correndo pra minha cama e fiquei ali até dormir. Consigo me lembrar do barulho até hoje, foi horrível”.

– Peter

Peter Booth

Os irmãos explicaram no tribunal que, naquele momento, não disseram nada por medo das reações que David poderia ter. Especialistas da área forense analisaram as provas e determinaram que as feridas de Paul poderiam ter surgido por conta de agressão física, e não por ter caído da cama.

Esperamos que este caso tenha um fim e que finalmente façam justiça caso o senhor David tenha realmente sido o culpado do crime.

Comentários
Carregando...